Loading...

sábado, 8 de novembro de 2014

Simulados para as provas de História do 4º bimestre





Simulados para as provas do 4º bimestre



1º ano – simulado para a prova do 4º bimestre – assuntos: livro 9 (capítulos 2,3 e 4) livro 10 ( capítulos 1)




2º ano – simulado para a prova do 4º bimestre


domingo, 2 de novembro de 2014

Enem - Bateria de exercícios com gabarito comentado


Grupo de estudo para questões específicas: https://www.facebook.com/groups/660763183949872/

1.   Leia o texto a seguir.

A base da culinária tradicional goiana ocorreu em meados do século XVIII, com a fusão dos hábitos alimentares dos índios nativos que aqui viviam aos hábitos advindos de outras culturas, destacando-se a dos bandeirantes mineiros, paulistas e portugueses com a introdução de carnes salgadas.
SANTIAGO, Raquel de A. C. et al. Alimentação saudável na culinária regional.
Goiânia: Índice Editora, 2012. p. 17. (Adaptado).


Nesse período, as consequências do movimento dos bandeirantes, para a dinâmica política regional e para os hábitos alimentares na dieta da população local, foram, respectivamente:
a) surgimento das oligarquias locais; incorporação de alimentos energéticos.   
b) nomeação de administradores locais; incorporação de alimentos plásticos.   
c) fortalecimento do movimento separatista do norte de Goiás; incorporação de alimentos energéticos.   
d) criação da capitania de Goiás; incorporação de alimentos plásticos.   
e) nomeação de administradores locais; incorporação de alimentos reguladores.   
  
2.   “Desde o alvorecer de São Paulo, as águas amarelas e quietas do Tietê despertaram sonhos de aventura e de riqueza.”
(NÓBREGA, Mello. História do Rio Tietê. 3ª ed. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1981, pág. 61)

Sobre esse rio, pode-se afirmar corretamente que
a) foi utilizado pelos bandeirantes, como meio de transporte, na procura de ouro e na captura de indígenas.   
b) possibilitou o acesso de nordestinos para São Paulo, por ser o mais importante afluente do rio São Francisco.   
c) se tornou poluído a partir do século XIX, em decorrência da intensa mineração desenvolvida ao longo de seu leito.   
d) facilitou a intensa urbanização da capital paulista pelo fato de suas águas correrem no sentido interior-litoral e de ter sua foz no litoral.   
e) exerceu importante papel no século XVIII, uma vez que possibilitou o escoamento da produção cafeeira do oeste paulista até o porto de Santos.   
  
3.   No início do século XX, o desenvolvimento industrial das cidades criou as condições necessárias para aquilo que Thomas Gounet denominou “civilização do automóvel”. Nesse contexto, um nome se destacou, o de Henri Ford, cujas indústrias aglutinavam contingentes de trabalhadores maiores que o de pequenas cidades com menos de 10.000 habitantes. O nome de Ford ficou marcado pela forma de organização de trabalho que propôs para a indústria.

Com base nos conhecimentos sobre a organização do trabalho nos princípios propostos por Ford, assinale a alternativa correta.
a) A organização dos sindicatos de trabalhadores dentro da fábrica transformou-os em colaboradores da empresa.   
b) A implantação da produção flexível de automóveis garantiu uma variedade de modelos para o consumidor.   
c) A produção em massa foi substituída pela de pequenos lotes de mercadorias, a fim de evitar estoques de produtos.   
d) O método de Ford potencializou o parcelamento de tarefas, largamente utilizado por Taylor.   
e) Para obter ganhos elevados, a organização fordista implicava uma drástica redução dos salários dos trabalhadores.   
  
4.   O diálogo a seguir circunscreve-se à realidade política do mapa abaixo, cujo país deixou de existir:

“Foram os sérvios que fizeram isso, pai?” pergunta o garoto de 7 anos. A tensão aumenta, e é prontamente repreendido. “Não fale essa palavra aqui, em voz alta,” aconselha Milomir, visivelmente perturbado.

(Carta Capital, 11 de agosto de 2010.)



A tensão retratada no texto refere-se à:
a) herança deixada pela hegemonia política croata, à época da existência da Iugoslávia e que hoje prossegue na Eslovênia.   
b) convivência entre sérvios muçulmanos e bósnios cristãos na atual Bósnia-Herzegovina.   
c) convivência entre bósnios-croatas e bósnios-muçulmanos no novo país erigido após a dissolução iugoslava e hoje formado por duas entidades na Bósnia Herzegovina.   
d) realidade na atual Sérvia-Montenegro, formada por dois povos rivais, os cristãos ortodoxos e os bósnios muçulmanos.   
e) nova realidade vivida no Kosovo, o mais jovem país do mundo, onde convivem duas nações distintas e inimigas, os croatas cristãos e os albaneses muçulmanos.   
  
5.   Não há trabalho, nem gênero de vida no mundo mais parecido à cruz e à paixão de Cristo, que o vosso em um destes engenhos [...]. A paixão de Cristo parte foi de noite sem dormir, parte foi de dia sem descansar, e tais são as vossas noites e os vossos dias. Cristo despido, e vós despidos; Cristo sem comer, e vós famintos; Cristo em tudo maltratado, e vós maltratados em tudo. Os ferros, as prisões, os açoites, as chagas, os nomes afrontosos, de tudo isto se compõe a vossa imitação, que, se for acompanhada de paciência, também terá merecimento e martírio[...]. De todos os mistérios da vida, morte e ressurreição de Cristo, os que pertencem por condição aos pretos, e como por herança, são os mais dolorosos.

P. Antônio Vieira, “Sermão décimo quarto”. In: I. Inácio & T. Lucca (orgs.). Documentos do Brasil colonial. São Paulo: Ática, 1993, p.73��75.


A partir da leitura do texto acima, escrito pelo padre jesuíta Antônio Vieira em 1633, pode-se afirmar, corretamente, que, nas terras portuguesas da América,  
a) a Igreja Católica defendia os escravos dos excessos cometidos pelos seus senhores e os incitava a se revoltar.    
b) as formas de escravidão nos engenhos eram mais brandas do que em outros setores econômicos, pois ali vigorava uma ética religiosa inspirada na Bíblia.    
c) a Igreja Católica apoiava, com a maioria de seus membros, a escravidão dos africanos, tratando, portanto, de justificá-la com base na Bíblia.    
d) clérigos, como P. Vieira, se mostravam indecisos quanto às atitudes que deveriam tomar em relação à escravidão negra, pois a própria Igreja se mantinha neutra na questão.    
e) havia formas de discriminação religiosa que se sobrepunham às formas de discriminação racial, sendo estas, assim, pouco significativas.    
  
6.   Considere as seguintes informações sobre a escravidão praticada na América Portuguesa.

- Nos cafezais e canaviais, o escravo fazia parte de uma equipe de cerca de 12 a 15 homens ou mulheres.
- O engenho de açúcar e suas máquinas exigiam trabalhadores especializados. 
- Na cidade e no campo, havia escravos pedreiros, carpinteiros, barbeiros e outros.
- Nas cidades, os senhores alugavam os serviços dos escravos capacitados em variadas tarefas e também no comércio.
- Os escravos domésticos eram supervisionados pelo olhar exigente das donas-de-casa.

(MATTOSO, Katia de Queirós. Ser escravo no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1988, p.116. Adaptado)

Analisando os itens apresentados, é correto concluir que a escravidão na América Portuguesa
a) restringiu-se aos engenhos de cana e à produção agrícola monocultora de exportação.   
b) baseou-se na força física dos escravos, mas não considerou suas habilidades prévias.   
c) era distribuída de acordo com o modo de produção industrial das fábricas do período.   
d) esteve presente em todos os setores da vida social e produtiva na cidade e no campo.   
e) organizava as tarefas de acordo com o interesse pessoal e escolha dos trabalhadores.   
  
7.   A utilização de trabalhadores escravos foi constante durante a colonização da América Portuguesa. A partir do século XVI, observa-se a diminuição da utilização de mão de obra indígena escravizada e um aumento significativo no tráfico de escravos trazidos do continente africano. Com o passar do tempo, a escravidão indígena declinou e a escravidão de africanos e seus descendentes foi predominante.
Entre os fatores que explicam a predominância da mão de obra escrava africana, é correto apontar
a) os prejuízos obtidos pela Igreja com a catequização dos índios nas regiões missioneiras.   
b) a dificuldade de acesso aos índios já que estes viviam afastados das regiões litorâneas.   
c) a baixa produtividade dos índios nas tarefas industriais para as quais eram enviados.   
d) a proibição da escravidão indígena que contou com o apoio dos bandeirantes paulistas.   
e) a alta lucratividade que o tráfico internacional de africanos trazia para a Metrópole.   
  
8.   Leia o texto a seguir.

Afluente da margem direita do Rio Vermelho, ao norte de Cambé, próximo ao Distrito da Prata, o Rio Palmeira forma um vale onde a mata nativa ainda concentra reservas. Ali, séculos atrás havia um lago. Era um ponto estratégico com água, peixe, caça e floresta subtropical. Ali, em 1625 foi construída a redução jesuítica de San Joseph – o termo missão foi adotado pelos portugueses, enquanto espanhóis e pesquisadores preferem redução

(Jornal de Londrina, 3 mar. 2013. p.21.)

Recentemente no município de Cambé, localizado no norte do Paraná, foram descobertas ruínas de fundações da Redução Jesuítica, que comportou cerca de 200 pessoas, com fácil acesso à água e aos produtos oriundos da floresta.
As Reduções ou Missões Jesuíticas no Brasil estão associadas
a) às ações das bandeiras, que buscavam, nas Reduções, mão de obra indígena para a escravização.   
b) às atividades mercantis de minérios e de drogas do sertão que abasteciam a metrópole.   
c) à cristianização facultativa dos indígenas pelos irmãos jesuítas com o apoio da Santa Sé.   
d) à libertação dos indígenas do jugo católico, conquistando a autonomia para professarem a sua fé.   
e) ao desenvolvimento de práticas agrícolas e de pecuária extensiva que vieram a abastecer o comércio metropolitano.   
  
9.   Entre os fatores que permitem associar o contexto histórico de Portugal, na década de 1970, às independências de suas colônias na África, encontram-se 
a) o Salazarismo, que dominou Portugal desde a década de 1930, e a intensificação dos laços coloniais com Cabo Verde e Guiné-Bissau, 40 anos depois.    
b) a influência política e militar do Pacto de Varsóvia, no norte do continente africano, e o surgimento de movimentos contra o apartheid nas colônias portuguesas.    
c) o não cumprimento, por Portugal, da exigência internacional de que libertasse suas colônias africanas e sua exclusão da Comunidade Europeia, no princípio da década de 1970.    
d) a Revolução dos Cravos, de 1974, que encerrou o longo período ditatorial português, e a ampliação dos movimentos de libertação nacional, como os de Angola e Moçambique.    
e) o imediato cessar-fogo estabelecido pelo regime democrático português, implantado em 1974, e o fim dos conflitos internos nas colônias portuguesas da África.    
  
10.   O filme Argo (EUA, 2012) ganhou o Oscar de melhor filme de 2013, e teve como pano de fundo a Revolução Iraniana, ocorrida em 1979. Esse evento histórico
a) foi uma reação da esquerda comunista iraniana contra o governo de Reza Pahlevi, que era aliado ao bloco capitalista na Guerra Fria, e que impôs uma teocracia islâmica xiita, causando concentração de renda e perseguição política a opositores e líderes sunitas.    
b) foi um golpe militar de direita contra o governo do Aiatolá Khomeini, que era aliado ao bloco capitalista na Guerra Fria, e que promoveu uma modernização islâmica, causando concentração de renda e perseguição política a opositores políticos e líderes religiosos cristãos.    
c) foi uma reação de diversos setores da população iraniana contra o governo de Reza Pahlevi, que era aliado ao bloco capitalista na Guerra Fria, e que impôs uma modernização ocidentalizante, causando concentração de renda e perseguição política a opositores e líderes religiosos.    
d) foi um golpe militar de esquerda dado contra o governo do Aiatolá Khomeini, que era aliado ao bloco soviético na Guerra Fria, e que promoveu uma modernização forçada, causando concentração de renda e perseguição política a opositores e líderes religiosos xiitas.    
e) foi um golpe militar de direita apoiado pelos Estados Unidos contra o governo de Mohammed Mosaddegh, que detinha postura de não alinhamento durante a Guerra Fria, e que promoveu a nacionalização das companhias de petróleo e a aproximação com as esquerdas e os líderes religiosos islâmicos.   
  
11.   No momento em que Israel e palestinos re­tomaram negociações de paz, após quase três anos de interrupção, cabe lembrar um momento referencial para essa questão. En­cerrada a Segunda Guerra Mundial e sob o impacto da revelação dos horrores dos cam­pos de concentração nazistas na Europa, na sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas de 1947 foi aprovada a resolução no. 181 que recomendava:  
a) a confirmação mandato de ocupação bri­tânica em toda a Palestina, onde deveriam viver como súditos britânicos tanto judeus como palestinos.   
b) a partilha da Palestina em dois Estados, um árabe e um judeu.   
c) a concessão de todo o território da Pales­tina para a criação de um Estado judeu.    
d) o reconhecimento do direito dos árabes muçulmanos ao território da Palestina, ne­gando qualquer direito aos judeus.   
e) o estabelecimento de um mandato da ONU sobre o território da Palestina a par­tir daquela data.   
  
12.   No fim da década de 1980, profundas alterações começaram a ocorrer na União Soviética e no seu bloco de aliados. Sobre esse fato, é correto afirmar que, na  
a) Tchecoslováquia, as mudanças foram impulsionadas pela criação do sindicato livre Solidariedade.    
b) Romênia, o ditador Nicolau Ceausescu e sua esposa foram executados após julgamento sumário.    
c) Alemanha Ocidental, pressões populares levaram à substituição de Erich Honecker.    
d) Polônia, ocorreu, em janeiro de 1993, um desmembramento, surgindo as três Repúblicas Bálticas.    
e) Iugoslávia, a Revolução do Veludo realizada por Slobodan Milosevic acarretou a fragmentação pacífica do Estado.   
  
13.   O fato maior do século XIX é a criação de uma economia global única, que atinge progressivamente as mais remotas paragens do mundo, uma rede cada vez mais densa de transações econômicas, comunicações e movimentos de bens, dinheiro e pessoas, ligando os países desenvolvidos entre si e ao mundo não desenvolvido.
Eric Hobsbawm. A era dos Impérios. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008, p. 95.

O processo histórico descrito no texto corresponde ao
a) avanço da indústria chinesa, que superou a concorrência comercial dos países do Ocidente e passou a monopolizar os mercados consumidores da Europa e da América.   
b) estabelecimento de clara hegemonia política e militar soviética, nos tempos da Guerra Fria, sobre o Leste europeu e o Sul e Sudeste do continente asiático.   
c) imperialismo norte-americano, que impôs seu domínio econômico-financeiro sobre a América, a Europa Ocidental e parte do continente africano.   
d) sucesso das políticas neoliberais de ampliação da produção industrial e dos mercados consumidores, que permitiram o rompimento das barreiras alfandegárias mesmo nos países socialistas da Ásia.   
e) expansionismo europeu sobre o Pacífico, a Ásia e a África, que impôs o controle político e comercial de potências ocidentais a diversas partes do mundo.   
  
14.   O último Estado independente da Índia, o reino de Panjab, foi conquistado no período de 1846- 1848; daí por diante, a dominação inglesa se estendeu por todo o território. Apesar da completa sujeição em que se encontravam reinos e Estados, o povo indiano empreendeu vários esforços para recobrar a liberdade.

Sobre a dominação inglesa na Índia, assinale a alternativa CORRETA.
a) As revoltas pela libertação nacional da Índia obtiveram pleno êxito no século XIX, devolvendo a independência ao país em 1898.   
b) A Grande Revolta de 1857-1858 foi promovida pela classe liberal indiana, preocupada em recuperar seus poderes perdidos para o proletariado inglês.   
c) Durante a segunda metade do século XX, a Índia foi, de fato e de direito, uma possessão britânica, gerida para seu exclusivo interesse.   
d) A Índia oferecia um mercado de monopólio à Inglaterra no momento em que esta se encontrava em plena expansão industrial.   
e) A administração inglesa colonial vetou que indianos assumissem qualquer cargo na administração pública.   
  
15.   Observe a figura a seguir.



A bênção Urbi et Orbi, dirigida à cidade de Roma e ao mundo, foi proferida pelo Papa Francisco logo após sua eleição, durante os ofícios da Páscoa cristã, diretamente da Basílica de São Pedro, na cidade do Vaticano. O Vaticano é uma cidade-estado encravada na urbe romana e conquistou sua autonomia política por meio do Tratado de
a) Methuen, assinado por Childerico, em 830.   
b) Presburgo, assinado pelo papa Inocêncio I, em 1314.   
c) Santo Ildefonso, assinado pelo Duque de Ferrara, em 1754.   
d) Latrão, assinado por Benito Mussolini, em 1929.   
e) Roma, assinado pelo Papa João XXIII, em 1963.   
  
16.   Em março de 1938, a Alemanha, com o apoio de habitantes locais, endossada por um plebiscito, anexou uma região (país) de seu entorno. Essa anexação ficou conhecida como Anschluss (união).

A região (país) anexada(o) por Hitler, nesta ocasião, foi a(os)  

a) Áustria.    
b) Renânia.    
c) Sudetos tchecoslovacos.    
d) Polônia.   
e) Dinamarca.   
  
17.   Analise o cartaz a seguir.



Elaborado durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939), o cartaz apresentado transmite uma imagem de família estruturada sobre um princípio que
a) redefiniu o papel social da mulher em decorrência de sua mobilização para a luta.   
b) elegeu o Estado como centro irradiador das relações entre homens e mulheres.   
c) adotou a ideologia liberal para a formação da família nuclear.   
d) pregou o sacrifício feminino como meio de proteção moral da família.   
e) defendeu a organização hierárquica familiar como modelo para a luta política.   
  
18.   “Se a América Latina não foi esquartejada como a África, deveu-se ao fato – é preciso reconhecê-lo – de ter tido, sem que houvesse solicitado, um ‘tutor’. Um tutor ousado, porque se atreveu a dizer que a América era para os americanos, num momento em que apenas tinha a ilusão de ser uma potência. No entanto, quando esse tutor se transformou em grande potência, mudou seu discurso e gritou que era dono”.

(Héctor Hernan Bruit. O Imperialismo. São Paulo: Atual, 1994, p.49)

A partir da análise do texto, é correto afirmar que
a) a América Latina, desde a primeira metade do século XIX, é um instrumento do imperialismo estadunidense, que, historicamente, impôs, àqueles países, políticas como a Doutrina Monroe e a Política do Big Stick.   
b) as divisões sofridas pela África, decorrentes do imperialismo do século XIX, não puderem acontecer no continente americano em virtude da imposição ao respeito, feita na Conferência de Berlim, entre EUA e potências europeias, da autodeterminação da América Latina.   
c) o século XIX viu nascer a pretensa hegemonia estadunidense sobre os países latino-americanos, envolvendo disputas – desde aquela época – entre capitalistas e socialistas, ambientados na Guerra Fria.   
d) os americanos, há dois séculos, convivem com a supremacia estadunidense sobre os diversos países do continente, resultando em políticas impositivas como a da “Boa Vizinhança” e a Aliança para o Progresso.   
e) a América sempre foi protegida, resultando na criação de diversos acordos econômicos e na aliança de todo o continente em torno deles, apesar do domínio que os Estados Unidos exercem sobre o restante do mundo.   

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
Com a vinda da Corte, pela primeira vez, desde o início da colonização, configuravam-se nos trópicos portugueses preocupações próprias de uma colônia de povoamento e não apenas de exploração ou feitoria comercial, pois que no Rio teriam que viver e, para sobreviver, explorar “os enormes recursos naturais” e as potencialidades do Império nascente, tendo em vista o fomento do bem-estar da própria população local.

(Maria Odila Leite da Silva Dias.
A interiorização da metrópole e outros estudos, 2005.)  


19.   A vinda da Corte portuguesa para o Brasil, ocorrida em 1808 e citada no texto, foi provocada, sobretudo,
a) pelo fim da ocupação francesa em Portugal e pelo projeto, defendido pelos liberais portugueses, de iniciar a gradual descolonização do Brasil.   
b) pela pressão comercial espanhola e pela disposição, do príncipe regente, de impedir a expansão e o sucesso dos movimentos emancipacionistas na colônia.   
c) pelo interesse de expandir as fronteiras da colônia, avançando sobre terras da América Espanhola, para assegurar o pleno domínio continental do Brasil.   
d) pela invasão francesa em Portugal e pela proximidade e aliança do governo português com a política da Inglaterra.   
e) pela intenção de expandir, para a América, o projeto de união ibérica, reunindo, sob a mesma administração colonial, as colônias espanholas e o Brasil.   
  
20.   A alteração na relação entre o governo português e o Brasil, mencionada no texto, pode ser notada, por exemplo,
a) na redução dos impostos sobre a exportação do açúcar e do algodão, no reforço do sistema colonial e na maior integração do território brasileiro.   
b) no estreitamento dos vínculos diplomáticos com os Estados Unidos, na instalação de um modelo federalista e na modernização dos portos.   
c) na ampliação do comércio com as colônias espanholas do Rio da Prata, na reurbanização do Rio de Janeiro e na redução do contingente do funcionalismo público.   
d) na abertura de estradas, na melhoria das comunicações entre as capitanias e no maior aparelhamento militar e policial.   
e) no restabelecimento de laços comerciais com França e Inglaterra, na fundação de casas bancárias e no aprimoramento da navegação de cabotagem.   
  
21.   Em 1720, a Coroa portuguesa decidiu proibir definitivamente a circulação de ouro em pó, instalando a Casa de Fundição em Vila Rica, onde todo o metal extraído das minas deveria ser transformado em barras para depois ser transportado ao litoral.

A medida pretendia acabar com o contrabando e incrementar a arrecadação de impostos, prejudicando os interesses dos proprietários de lavras auríferas, comerciantes e profissionais liberais que recebiam ouro em pó pelos seus serviços, além dos tropeiros que escoavam a produção.

As novas diretrizes foram intensamente discutidas nos bares, nas tavernas, e críticas ferozes eram lançadas, nas rodas de conversa, contra a administração local. Uma revolta se levantaria contra as medidas de controle da Coroa.

(Fábio Pestana Ramos e Marcus Vinicius de Morais. Eles formaram o Brasil)

A revolta ocorrida contra as medidas de controle da Coroa portuguesa foi:
a) a Guerra dos Emboabas;   
b) a Revolta de Felipe dos Santos;   
c) a Inconfidência Mineira;   
d) a Guerra dos Mascates;   
e) a Revolta de Beckman.   
  
22.   Leia o fragmento.

Na segunda metade do século XVIII, a preocupação com o “bem governar” era um imperativo tanto para a manutenção do monarca, de modo a que não se fortalecessem outras pretensões de legitimidade, quanto para a conservação do próprio regime, da monarquia absolutista, pois tratava-se de evitar que certas ideias correntes, como governos elegíveis e parlamentos poderosos, tomassem corpo. (...)
(...) o despotismo esclarecido varia de país para país, dependendo de cada processo histórico e de sua abertura ao movimento de ideias da ilustração (...)

Antonio Mendes Junior et al. Brasil História: texto e consulta, volume 1, Colônia.

Sobre o fenômeno histórico em referência, no caso de Portugal, é correto considerar que
a) o atraso econômico português gerava dependência política e militar, colocando em perigo inclusive o império colonial português, e nesse processo ocorreram as reformas pombalinas, que representaram um maior controle português sobre o Brasil.   
b) as autoridades monárquicas portuguesas se anteciparam às ondas revolucionárias do mundo atlântico e criaram metas de aumento da participação das diversas classes sociais nas instâncias de poder, o que gerou o primeiro parlamento na Europa moderna.   
c) coube ao Marquês de Pombal o apontamento de um acordo estratégico com a Inglaterra, concretizado com o Tratado de Methuen, que permitiu a independência econômica de Portugal e regalias para a mais importante colônia lusa, o Brasil.   
d) as ideias iluministas foram abominadas pelas autoridades portuguesas, assim como pelas elites coloniais e metropolitanas, pois representavam um forte retrocesso nas concepções de liberdade de mercado, defendidas pelo mercantilismo.   
e) o contundente crescimento da economia de Angola, por causa do tráfico de escravos e da produção de manufaturados, e da economia açucareira no Brasil, foram decisivos para a opção portuguesa em transferir a sede da Coroa portuguesa para a América.   
  
23.   “Obrigado pelas imperiosas circunstâncias (...) a transportar a sede do império temporariamente para outra parte dos meus domínios, (...) foi necessário procurar elevar a prosperidade daquelas partes do império (...) para que elas pudessem concorrer às despesas necessárias para sustentar a honra e o esplendor do trono e para segurar sua defesa contra a invasão de um poderoso inimigo. Para este fim (...) fui servido a adotar os princípios (...) da liberdade e franquia do comércio e diminuição dos direitos de alfândegas (...)”.

Príncipe regente, D. João VI, Rio de Janeiro, 7/3/1810. In: INÁCIO, I. C. & LUCA, T. R. de. Documentos de Brasil Colonial. São Paulo : Ática, 1983. p. 173.

A diminuição dos direitos de alfândega de que trata o texto, consequências dos Tratados de 1810, resultou no
a) aumento das exportações brasileiras na medida em que se legalizou o comércio com outros países da Europa.   
b) incremento e consolidação do domínio inglês sobre o Brasil em função dos privilégios comerciais garantidos à Inglaterra.   
c) estabelecimento no Brasil, das primeiras estradas de ferro interligando áreas produtoras aos portos, agilizando as exportações.   
d) desenvolvimento da indústria manufatureira do Brasil incentivada pela entrada de capitais estrangeiros, em particular ingleses.   
e) crescimento da produção agrária da colônia para atender a demanda dos vários países que passaram a comprar matéria prima brasileira.   
 


Gabarito:  

Resposta da questão 1:
 [D]


[Resposta do ponto de vista da disciplina de Biologia]
A introdução de alimentos de origem proteica como carne é um componente que entra no metabolismo de construção (plástico) do indivíduo.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
O movimento das bandeiras promoveu uma série de mudanças no Brasil Colonial. A partir do avanço para o interior, desrespeitando a linha de Tordesilhas, os bandeirantes fundaram vilas e vilarejos (que originaram novas Capitanias, como a de Goiás), descobriram o ouro e interagiram com os indígenas (promovendo, ao mesmo tempo, mudanças de hábitos para ambos os lados e uma dizimação em massa dos índios).   

Resposta da questão 2:
 [A]


[Resposta do ponto de vista da disciplina de Geografia]
Como mencionado corretamente na alternativa [A], o Rio Tietê foi curso desbravador para o interior utilizado pelas bandeiras. Estão incorretas as alternativas: [B], porque o Tietê não é afluente do rio São Francisco e não tem relação com a migração de nordestinos; [C], porque sua poluição é caracterizada pela concentração urbano-industrial no século XX; [D], porque seu sentido é litoral-interior e sua foz, no rio Paraná; [E], porque o escoamento do café foi feito por ferrovias e sua nascente não chega ao Porto de Santos.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
Somente a proposição [A] está correta. Desde o período colonial, sobretudo nos séculos XVII e XVIII o rio Tietê foi muito importante na perspectiva econômica. Através deste rio, os bandeirantes paulistas foram em busca de metais preciosos na região das Minas Gerais. Foi utilizado também para capturar nativos. Também foi útil nas bandeiras chamadas “Monções” que visavam abastecer as áreas mineratórias.  

Resposta da questão 3:
 [D]


[Resposta do ponto de vista da disciplina de Geografia]
Como mencionado corretamente na alternativa [D], o fordismo apoiou-se na concepção de Taylor, caracterizando-se pela divisão do trabalho nas fábricas, cuja produção é gerenciada pelo sistema Just-in-case, buscando ampliar o estoque dos produtos. Estão incorretas as alternativas: [A], porque os sindicatos eram monitorados por Ford a fim de eliminar possíveis greves; [B], porque a produção flexível pertence ao período pós-fordista, quando o sistema toyotista é adotado baseando-se na automação, flexibilização e terceirização; [C], porque o fordismo caracteriza-se pela produção em massa (Just-in-case); [E], porque Ford elevou os salários dos operários prevendo que estes seriam seus futuros consumidores.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
Somente a alternativa [D] é correta. Frederick Taylor (1856-1915), engenheiro americano, no seu livro “Princípios de Administração Científica” sugeriu racionalizar a produção inserindo princípios científicos na fábrica, tais como separação entre o pensar (concepção) e o fazer (execução), subdividir ao máximo as atividades dos trabalhadores, etc. No início do século XX, Henri Ford (1863-1947), grande empreendedor americano, inspirado nas ideias de Taylor criou o que foi chamado de “Fordismo” potencializando a divisão de tarefas em suas fábricas de automóveis. As alternativas [A], [B], [C] e [E] estão incorretas. Ford procurou supervisionar os sindicatos. A produção flexível, automação, sociedade do conhecimento, terceirização caracterizam o Pós-Fordismo. O Fordismo consiste na produção em massa e não em pequenos lotes de mercadorias. Ford reduziu a jornada de trabalho e aumentou o salário para obter mercado consumidor.  

Resposta da questão 4:
 [C]


[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
A dissolução da antiga Iugoslávia foi marcada por tensões, conflitos e guerras. Destaca-se a Guerra da Bósnia, quando a região conquistou sua independência; antes, porém, o domínio de sérvios foi caracterizado por um verdadeiro massacre sobre a população Bósnia, principalmente sobre muçulmanos e croatas.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Geografia]
A fragmentação da Iugoslávia foi decorrente da crise econômica do socialismo real e das rivalidades étnicas e religiosas que se acentuaram na década de 1990. A Bósnia-Hezergóvina atravessou uma guerra civil entre 1990 e 1995 entre croatas e muçulmanos que defendiam a independência e os sérvios que defendiam a permanência na Iugoslávia. Com o Tratado de Dayton (paz), o país tornou-se independente, mas permanecem rivalidades e ressentimentos entre os três principais grupos étnicos e religiosos, croatas católicos, sérvios ortodoxos e muçulmanos.  

Resposta da questão 5:
 [C]


O texto é bem claro: o padre jesuíta usa do exemplo de Cristo para justificar a condição dos escravos na Colônia portuguesa. Apesar de ter sido contra a escravidão do indígena, a Igreja Católica portuguesa nunca se posicionou contra a escravidão negra.  

Resposta da questão 6:
 [D]


Fica claro, a partir do texto, que a presença do escravo se fazia no campo e na cidade: “(...) nos cafezais e canaviais (...), na cidade e no campo (...), nas cidades (...), os escravos domésticos (...)”.  

Resposta da questão 7:
 [E]


Além das dificuldades encontradas para escravizar indígenas, o tráfico de negros africanos configurava grande lucro para os portugueses, estabelecendo trocas comerciais com as tribos africanas e elevada movimentação monetária envolvendo as tribos, os traficantes e os compradores.  

Resposta da questão 8:
 [A]


Nos séculos XVII e XVIII, os bandeirantes paulistas, devido à pobreza da região, realizaram inúmeras atividades para sobreviver, tais como: caça ao índio, caça ao ouro, monções (abastecer as áreas mineratórias) e o sertanismo de contrato (abafar revoltas indígenas e dos escravos negros). No século XVII, havia o império holandês no nordeste brasileiro que recrutava muita mão de obra escrava negra e, assim, faltavam braços para trabalhar nas regiões adjacentes. Desta forma, os bandeirantes paulistas destruíram as missões jesuíticas no sul para vender os nativos como escravos, principalmente no nordeste. Recentemente foi encontrado na cidade de Cambé, no norte do Paraná, vestígios de uma redução jesuítica que possuíam cerca de 200 pessoas. Somente a alternativa [A] é correta. As alternativas [B], [C], [D] e [E] estão incorretas. As drogas do sertão estavam localizadas no Amazônia. A catequese realizada pelos padres jesuítas não era facultativa. Os nativos não foram libertos do jugo católico, conquistando sua autonomia religiosa. Não ocorreram a pecuária extensiva e práticas agrícolas para abastecer a metrópole.  

Resposta da questão 9:
 [D]


A Revolução dos Cravos, ou Revolução de 25 de Abril, em Portugal, ocorrida em 1974, pôs fim ao Estado Novo autoritário português, estabelecendo a democracia no país. Nesse contexto, as Colônias portuguesas na África aceleraram seus processos de independência, no processo que chamamos de descolonização afro-asiática. Evidentemente, a fragilidade portuguesa devido ao abalo da Revolução contribuiu para a independência de suas Colônias.  

Resposta da questão 10:
 [C]


Somente a alternativa [C] é correta. Devido a uma pressão das potências capitalistas ocidentais (EUA e Reino Unido) o regime dos Xás foi obrigado a adotar uma “Revolução Branca”, isto é, uma ocidentalização com uma forte inserção dos valores ocidentais no Irã. Apesar da riqueza natural como o petróleo a população mais pobre e a classe média não beneficiavam destes recursos, havia muita pobreza e desigualdade social. Neste sentido foi surgindo um descontentamento de diversos segmentos sociais contra o governo de Reza Pahlevi culminando na Revolução Iraniana de 1979 que levou ao poder o Aiatolá Khomeini que estava exilado na França. O novo governo adotou uma postura contra o ocidente criticando os EUA e até mesmo a URSS, invadiu a embaixada dos EUA em Teerã fazendo de reféns alguns diplomatas Portanto, não foi uma reação da esquerda comunista contra Pahlevi, como sugere a alternativa [A]. Também não foi um golpe militar de direita contra Khomeini como afirma a alternativa [B]. Não foi um golpe militar de direita e nem de esquerda como afirmam as outras alternativas.  

Resposta da questão 11:
 [B]


A Assembleia Geral da ONU aprovou resolução em 1947 que dividiu o território da Palestina e garantiu a criação do Estado de Israel, antiga reivindicação dos judeus, reforçada desde o final do século XIX com a formação do movimento sionista e principalmente após a Segunda Guerra Mundial, com a divulgação do holocausto, levado a cabo pelos nazistas.  

Resposta da questão 12:
 [B]


Ceausescu governou tiranicamente a Romênia durante parte do período da União Soviética. Em meados de 1989, uma onda revolucionária começou a pôr fim ao seu governo. A partir das manifestações, o ditador e sua esposa foram presos, julgados e condenados à execução sumariamente.  

Resposta da questão 13:
 [E]


Somente a alternativa [E] esta correta. O texto do historiador inglês Eric Hobsbawm remete ao Imperialismo Neocolonialista que ocorreu a partir da segunda metade do século XIX. Neste contexto as potências capitalistas europeias industrializadas necessitavam de matéria prima, mercado consumidor, escoar o excedente populacional, investir capital, etc. Assim, África, Ásia e Oceania foram vítimas desta nova fase do capitalismo chamada de “Monopolista e Financeiro”. As demais alternativas estão incorretas. Não se trata da indústria chinesa. O texto não remete a hegemonia política e militar soviética. Também não ocorreu a expansão dos EUA sobre a Europa. O neoliberalismo ocorreu a partir da década de 1970.  

Resposta da questão 14:
 [D]


Somente a proposição [D] está correta. A Inglaterra com a Revolução industrial que começou no fim do século XVIII, ampliou sua produção e foi em busca de mercado consumidor. Desta forma, contribuiu para o processo de independência da América Latina, apoiou e transportou a corte portuguesa para o Brasil em 1808. Na “Era Vitoriana”, 1837-1901, foi o auge do imperialismo inglês que foi buscar mercado consumidor na África e Ásia no chamado Imperialismo e ou Neocolonialismo. A índia foi a grande joia da rainha da Inglaterra que não mediu esforços para impor seu domínio sobre esta civilização. As demais alternativas estão incorretas. As revoltas pela libertação da Índia não tiveram êxito no século XIX. A Índia não foi dominada pelo operariado inglês e sim pela burguesia ávida por lucros. A Índia fez sua independência em 1947 liderada por Gandhi através da desobediência civil.  

Resposta da questão 15:
 [D]


Com a unificação política da Itália concluída em 1871 iniciou-se a questão romana que consiste no conflito entre a Igreja (que era contra a unificação) e o Estado. Somente em 1929, em um contexto totalitário, Benito Mussolini e o Papa Pio XI assinaram o Tratado de Latrão criando o Vaticano que é um Estado dominado pela Igreja. Somente a alternativa [D] está correta.  

Resposta da questão 16:
 [A]


Anschluss é o termo alemão que designa anexação. Em História, é usada para designar a anexação político-militar da Áustria pela Alemanha em 1938.  

Resposta da questão 17:
 [A]


[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
A guerra Civil Espanhola ocorreu entre 1936 e 1939. De um lado havia a falange que defendia o general ditador Francisco Franco e de outro as brigadas internacionais que defendiam o governo popular. As guerras que ocorreram na primeira metade do século XX contribuíram para redefinir o papel social da mulher no sentido da resistência que consiste em se mobilizar para a luta ou no campo econômico para exercer funções no mundo do trabalho. Somente a proposição [A] contempla esta ideia.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Sociologia]
A partir do momento em que se vive uma guerra e que a grande parte dos homens está em combate, as mulheres passam a assumir papeis mais complexos nas famílias e na sociedade civil. O cartaz corresponde a uma propaganda que tem como intenção fazer as mulheres operárias assumirem uma posição revolucionária nesse contexto, apoiando os combatentes em defesa da “liberdade”. Desta maneira, somente a alternativa [A] pode ser considerada correta.  

Resposta da questão 18:
 [A]


O texto faz clara referência ao papel de liderança que os EUA exerceram sobre o restante da América ao longo dos séculos XIX e XX, papel esse marcado por políticas de vizinhança como a Doutrina Monroe e o Big Stick.  

Resposta da questão 19:
 [D]


A corte portuguesa se transferiu para o Brasil no contexto do Bloqueio Continental. Há que se considerar alguns fatores para essa mudança, como a invasão protagonizada por franceses, as pressões da Inglaterra sobre o governo lusitano e os interesses da Corte em preservar o controle sobre todos os seus territórios na América e África.  

Resposta da questão 20:
 [D]


Apesar do aumento dos impostos, pode-se dizer que, principalmente com a “abertura dos portos”, o sistema colonial se afrouxou. A monarquia centralizada ampliou o número de funcionários públicos e da estrutura militar, aprofundou seus vínculos com a Inglaterra e rompeu relações política e comercial com a França e Espanha.  

Resposta da questão 21:
 [B]


O texto marca o início da atividade mineradora no Brasil. Nesse sentido, a existência da data “Em 1720” é um dado importante para o aluno perceber e relacionar o momento colocado pelo texto, bem como a citação da criação das Casas de Fundição, instrumento do controle português e das medidas relativas ao combate do contrabando, provocar a ira dos mineradores, levando à organização da Revolta de Felipe dos Santos em que o principal motivo gerador dessa revolta é a tentativa de abolir a criação deste instrumento de controle e exploração da metrópole portuguesa.
O aluno poderia ser levado a marcar a alternativa [C], a Inconfidência Mineira, que é outra revolta do período da mineração no Brasil, até muito mais conhecida por parte dos alunos, mas o que faz a diferença para o acerto da questão é justamente a data explícita no texto, enquanto a Inconfidência Mineira é datada de 1789.  

Resposta da questão 22:
 [A]


O fragmento faz referência ao despotismo esclarecido que, no caso de Portugal, se materializou durante o reinado de D. José I (1750-1777), e tendo como seu secretário de governo, o marquês de Pombal. Esse momento foi tão marcante que é comum denominá-lo de Era Pombalina. Para o citado governo português era necessário conter a dependência econômica frente aos britânicos, reforçar o poder do Estado e reorganizar as relações com o Brasil, a principal colônia lusa. Assim, entre outras medidas, houve um estreitamento nas relações coloniais entre Brasil e Portugal, o que gerou um maior controle da metrópole sobre a América portuguesa. Exemplos dessa nova relação são as Companhias de Comércio e a reorganização da política tributária da região das Minas Gerais.  

Resposta da questão 23:
 [B]



Os Tratados de 1810 foram assinados com a Inglaterra e garantiam a este país um conjunto de direitos e privilégios. Há de se considerar que a dependência de Portugal frente a este país se ampliava há um século e a necessidade de apoio militar contra a expansão napoleônica ampliou ainda mais essa dependência. Os Tratados garantiam principalmente tarifas preferenciais e porto livre em Santa Catarina.  


HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados