Loading...

domingo, 27 de julho de 2014

Questões de História Moderna - Gabarito comentado



Questões sobre:  Colonização européia na América, Revoluções inglesas, Revolução industrial,


Questão 1.   “Na ilha Espanhola que foi a primeira, como se disse, a que chegaram os espanhóis, começaram as grandes matanças e perdas de gente, tendo os espanhóis começado a tomar as mulheres e filhos dos índios para deles servir-se e usar mal e a comer seus víveres adquiridos por seus suores e trabalhos, não se contentando com o que os índios de bom grado lhes davam, cada qual segundo sua faculdade, a qual é sempre pequena porque estão acostumados a não ter de provisão mais do que necessitam e que obtêm com pouco trabalho. E o que pode bastar durante um mês para três lares de dez pessoas, um espanhol o come ou destrói num só dia. Depois de muitos outros abusos, violências e tormentos a que os submetiam, os índios começaram a perceber que esses homens não podiam ter descido do céu. Alguns escondiam suas carnes, outros suas mulheres e seus filhos e outros fugiam para as montanhas a fim de se afastar dessa Nação. Os espanhóis lhes davam bofetadas, socos e bastonadas e se ingeriam em sua vida até deitar a mão sobre os senhores das cidades.” Frei Bartolomeu de Las Casas, O Paraíso Destruído (1502). São Paulo: L&M Pocket, 2001, pág. 32 e 33.

Assinale a alternativa que interpreta corretamente o texto acima.
(A) Frei Bartolomeu de Las Casas faz referência aos atos violentos praticados pelos cruzados castelhanos, aragoneses e leonenses – aqui vagamente chamados de “espanhóis” – ao tomarem Jerusalém, a Terra Santa.   
(B) O excerto refere-se à chegada dos navegadores espanhóis, durante o reinado de Felipe II, às ilhas Filipinas, que receberam tal nome em homenagem ao monarca.   
(C) Trata-se de uma crítica da Igreja Católica à escravidão de africanos na Ilha de Madagascar, na África Oriental, iniciada quando Vasco da Gama ultrapassou o Cabo das Tormentas, em 1488 d.C.   
(D) Frei Bartolomeu de Las Casas denuncia o massacre físico, cultural e ideológico das populações autóctones americanas, praticado pelos conquistadores espanhóis, que atingiram a região em 1492.   
(E) Frei Bartolomeu de Las Casas refere-se aos métodos de conquista e colonização efetivados pela Coroa Espanhola, sobretudo na Índia, razão pela qual se denominou a possessão como Ilha Espanhola e seus habitantes, índios.   
 
Questão 2.   (...) como puder, direi algumas coisas das que vi, que, ainda que mal ditas, bem sei que serão de tanta admiração que não se poderão crer, porque os que cá com nossos próprios olhos as vemos não as podemos com o entendimento compreender. (Hernán Cortés. Cartas de Relación de la Conquista de Mexico, escritas de 1519 a 1526.)

O processo de conquista do México por Cortés estendeu-se de 1519 a 1521. A passagem acima manifesta a reação de Hernán Cortés diante das maravilhas de Tenochtitlán, capital da Confederação Mexica. A reação dos europeus face ao novo mundo teve, no entanto, muitos aspectos, compondo admiração com estranhamento e repúdio. Tal fato decorre
(A) do desinteresse dos conquistadores pelas riquezas dos Astecas.   
(B) do desconhecimento pelos europeus das línguas dos índios.   
(C) do encontro de padrões culturais diferentes.   
(D) das semelhanças culturais existentes entre os povos do mundo.   
(E) do espírito guerreiro e aventureiro das nações europeias.   
 
Questão 3.   "Sem colonização não há uma boa conquista, e se a terra não é conquistada, as pessoas não serão convertidas. Portanto, o lema do conquistador deve ser colonizar." (GÓMARA, Francisco López de. "Historia General de las Indias". Madrid, 1852. p. 181. citado por BETHEL, Leslie (Org.). "História da América Latina". 2. ed. São Paulo: Edusp; Brasília: Fundação Alexandre Gusmão, 1988. p. 135.)

Com base nas palavras do historiador e nos conhecimentos sobre a conquista da América Espanhola, é correto afirmar:
(A) A boa conquista, para o autor, limitava-se a assaltar, a saquear e a tomar posse de objetos fáceis de transportar, como ouro, prata e pedras preciosas.   
(B) A colonização da América foi uma ação militar e teve sequência na conquista espiritual e na migração maciça de súditos espanhóis para dominar a terra.   
(C) Para os espanhóis, que menosprezavam a condição de senhor, a ausência de mão de obra para trabalhar a terra não foi um obstáculo à colonização.   
(D) A superioridade numérica de armamentos e a experiência tática dos espanhóis permitiram uma conquista pacífica e sem traumas.   
(E) A conquista preservou as instituições nativas, conservando os níveis demográfico, econômico, social e ideológico das sociedades autóctones.   
 
Questão 4.   A Revolução Gloriosa, na Inglaterra (1688–1689), marcou o início de uma época de grande prosperidade para o país, lançando as bases para o desenvolvimento capitalista, e permitiu que o país fosse o pioneiro na Revolução Industrial do século XVIII. Podemos estabelecer uma relação entre os dois eventos porque
(A) o governo passou a impor a religião anglicana, dando fim aos conflitos religiosos e aos massacres entre católicos e protestantes, liberando mão de obra para as novas técnicas de produção.   
(B) o poder real, com a retomada do absolutismo, não encontra empecilhos para dar fim ao sistema feudal e incentivar a prática capitalista para aumentar os recursos do Tesouro Nacional.   
(C) o país, com o advento do Parlamentarismo, passou por transformações, como o acordo político e econômico entre a burguesia e a nobreza rural que, juntas, promoveram o desenvolvimento econômico.   
(D) tanto a tolerância religiosa quanto uma maior liberdade de expressão política por parte da sociedade civil, características do despotismo esclarecido, incentivaram o desenvolvimento econômico.   
(E) o desenvolvimento de uma monarquia, com características de um Estado liberal, permitiu a união de todas as classes sociais na Inglaterra, o que permitiu a modificação das relações trabalhistas no campo.   
 
Questão 5.   As chamadas “revoluções inglesas”, transcorridas entre 1640 e 1688, tiveram como resultados imediatos 
(A) a proclamação dos Direitos do Homem e do Cidadão e o fim dos monopólios comerciais.    
(B) o surgimento da monarquia absoluta e as guerras contra a França napoleônica.    
(C) o reconhecimento do catolicismo como religião oficial e o fortalecimento da ingerência papal nas questões locais.    
(D) o fim do anglicanismo e o início das demarcações das terras comuns.    
(E) o fortalecimento do Parlamento e o aumento, no governo, da influência dos grupos ligados às atividades comerciais.    
 
Questão 6.   A Reforma, a despeito de sua hostilidade à magia, estimulara o espírito de profecia. A abolição dos intermediários entre o homem e a divindade, bem como a ênfase na consciência individual, deixavam Deus falar diretamente a seus eleitos. Era obrigação destes tornar conhecida a Sua mensagem. E Deus não fazia acepção de pessoas: preferia falar a John Knox do que à sua rainha, Maria Stuart da Escócia. O próprio Knox agradeceu a Deus ter-lhe dado o dom de profetizar, que assim estabelecia que ele era um homem de boa-fé.
Na Inglaterra, as décadas revolucionárias deram ampla difusão ao que praticamente constituía uma profissão nova – a do profeta, quer na qualidade de intérprete dos astros, ou dos mitos populares tradicionais, ou, ainda, da Bíblia.  HILL, Christopher, O mundo de ponta-cabeça. Ideias radicais durante a Revolução Inglesa de 1640. Trad. Renato Janine Ribeiro. São Paulo, Companhia das Letras, 1987, p. 103.

O texto se refere ao ambiente político e religioso da Inglaterra no século XVII. A esse respeito é CORRETO afirmar:
(A) A insatisfação popular na Inglaterra era decorrente da perspectiva protestante de manter os sacerdotes como intermediários entre Deus e os homens.   
(B) Os revolucionários basearam-se em princípios estritamente racionais e científicos, em uma nítida ruptura com as crenças e o profetismo da época.   
(C) Apesar de todas as disputas religiosas dos séculos XVI e XVII, os monarcas ingleses mantiveram-se neutros, o que permitiu a preservação da monarquia.   
(D) Para os revolucionários ingleses, Deus considerava apenas os parlamentares como pessoas aptas a transmitir a doutrina e indicar os caminhos da salvação.   
(E) A movimentação revolucionária esteve vinculada aos conflitos religiosos decorrentes da chamada Reforma Protestante iniciada no século XVI.   
 
Questão 7.   Morto o rei, em maio do mesmo ano, a república foi proclamada, o que dava a entender que as reivindicações dos nivela­dores estavam sendo atendidas, mas a revo­lução parou aí, e a sensação de traição foi virando certeza. A revolta dos niveladores malogrou. Além da fracassada tentativa dos Ni­veladores, o país conheceu também o mo­vimento dos Escavadores, que, por meio da ação direta e pacífica, tentaram chegar a uma forma de comunismo agrário. (Paulo Miceli. As Revoluções Burguesas)

O texto deve ser relacionado com:  
(A) a Revolução Puritana, na Inglaterra;    
(B) a Revolução Gloriosa, na Inglaterra;    
(C) as Frondas, na França;    
(D) a Revolução Francesa de 1789;    
(E) a Revolução de 1830, na França.   
 
Questão 8.   Leia as informações a seguir.

Em meados do século XVIII, James Watt patenteou na Inglaterra seu invento, sobre o qual escreveu a seu pai: “O negócio a que me dedico agora se tornou um grande sucesso. A máquina de fogo que eu inventei está funcionando e obtendo uma resposta muito melhor do que qualquer outra que tenha sido inventada até agora”. Disponível em: . Acesso em: 29 out. 2012. (Adaptado).


A revolução histórica relacionada ao texto, a fonte primária de energia utilizada em tal máquina e a consequência ambiental de seu uso são, respectivamente,
(A) puritana, gás natural e aumento na ocorrência de inversão térmica.   
(B) gloriosa, petróleo e destruição da camada de ozônio.   
(C) gloriosa, carvão mineral e aumento do processo de desgelo das calotas polares.   
(D) industrial, gás natural e redução da umidade atmosférica.   
(E) industrial, carvão  e aumento da poluição atmosférica.   
 
Questão 9.   TEXTO I

O aparecimento da máquina movida a vapor foi o nascimento do sistema fabril em grande escala, representando um aumento tremendo na produção, abrindo caminho na direção dos lucros, resultado do aumento da procura. Eram forças abrindo um novo mundo.
HUBERMAN, L. História da riqueza do homem. Rio de Janeiro: Zahar, 1974 (adaptado).

TEXTO II

Os edifícios das fábricas adaptavam-se mal à concentração de numerosa mão de obra, reunida para longos dias de trabalho, numa situação árdua e insalubre. O trabalho nas fábricas destruiu o sistema doméstico de produção. Homens, mulheres e crianças deixavam os lugares onde moravam para trabalhar em diferentes fábricas.
LEITE, M. M. Iniciação à história social contemporânea. São Paulo: Cultrix,1980 (adaptado).

As estratégias empregadas pelos textos para abordar o impacto da Revolução Industrial sobre as sociedades que se industrializavam são, respectivamente,
(A) ressaltar a expansão tecnológica e deter-se no trabalho doméstico.   
(B) acentuar as inovações tecnológicas e priorizar as mudanças no mundo do trabalho.   
(C) debater as consequências sociais e valorizar a reorganização do trabalho.   
(D) indicar os ganhos sociais e realçar as perdas culturais.   
(E) minimizar as transformações sociais e criticar os avanços tecnológicos.   
 
Questão 10.   Leia o texto a seguir.
A cada 10. de maio, lembramos de Parsons, Spies e seus companheiros de patíbulo. Mas poucos lembram do nome de James Towle, que foi, em 1816, o último "destruidor de máquinas" enforcado. Caiu pelo poço da forca gritando um hino luddita [sic] até que suas cordas vocais se fecharam num só nó. FERRER, Christian. Os destruidores de máquinas. In: "Libertárias", n. 4, dez/1998, São Paulo, p. 5.

Sobre os destruidores de máquinas, de que trata o texto acima, assinale a alternativa correta.
(A) Foram trabalhadores ingleses que combateram com ações direta e  radical a mecanização industrial, responsável, segundo eles, pela desgraça dos trabalhadoresl.   
(B) Eram grupos de rebeldes irlandeses liderados pelos radicais jacobinos insatisfeitos com a restauração da monarquia dos Bourbon na França.   
(C) Eram integrantes das vanguardas das trade unions, os primeiros sindicatos de trabalhadores da Inglaterra, que elaboraram a "Carta do Povo".   
(D) Foram trabalhadores anarquistas que morreram enforcados por terem lutado pela jornada de oito horas durante a greve geral de Haymarket Riot, em Chicago.   
(E) Eram grupos de indígenas do meio oeste dos EUA, entre eles os sioux, que atacavam os trens (cavalos de aço) que dividiam as manadas de búfalos dentro de seus territórios.   
 



Gabarito: 

Resposta da questão 1:

 [D]

A colonização espanhola na América foi marcada pelo eurocentrismo e pela violência.
Houve um desrespeito à cultura do nativo e a conquista do território pelos colonizadores espanhóis levou a um grande extermínio das populações autóctones americanas.  

Resposta da questão 2:

 [C]

Uma característica marcante do processo de conquista e colonização da América foi o choque de diferentes valores culturais entre nativos e europeus, como fica evidente nas palavras de Cortez.  A questão poderia ser respondida apenas por interpretação do enunciado.   

Resposta da questão 3:

 [B]  

Resposta da questão 4:

 [C]

A partir da Revolução Gloriosa e da promulgação da Declaração de Direitos, o parlamentarismo consolidou-se na Inglaterra e a burguesia, através da Câmara dos Comuns, ganhou representação política, o que facilitou sua interação com a elite latifundiária. Além disso, o advento da Revolução Industrial consolidou e alavancou a economia inglesa, alçando a Inglaterra ao posto de maior potência econômica do mundo na época.  

Resposta da questão 5:

 [E]

As Revoluções Inglesas ocorridas a partir de 1640 estabeleceram a Monarquia Parlamentarista na Inglaterra, fortalecendo o poder do Parlamento em detrimento do poder Real. Tais revoluções foram burguesas e, logo, influenciadas por grupos comerciais.  

Resposta da questão 6:

 [E]

As revoluções inglesas do século XVII ocorreram devido a uma mistura de interesses políticos e socioeconômicos, insuflados, em grande medida, pelas questões religiosas que atingiram a Inglaterra a partir de meados do século XVI. Em 1640, foram os puritanos (calvinistas ingleses) que lideraram a luta que levou à queda de Carlos I e à instalação da República de Cromwell. E em 1688 a reação à monarquia católica dos Stuart foi decisiva na aliança que possibilitou a Revolução Gloriosa que pôs fim ao absolutismo na Inglaterra.  

Resposta da questão 7:

 [A]

A Revolução Puritana foi um conflito entre a Monarquia e o Parlamento na Inglaterra, porque o rei inglês, Carlo I, queria governar sem o consentimento do Parlamento. Quando o rei ordenou o fechamento do Parlamento, o mesmo se dividiu em dois grandes grupos: os diggers (cavadores), que queriam a reforma agrária, e os leverlles (niveladores), que queriam praticar o catolicismo livremente.   

Resposta da questão 8:

 [E]

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Biologia]
A máquina de fogo ao qual a pergunta se refere utilizava o carvão mineral como combustível, a consequência da queima deste combustível é o aumento da poluição atmosférica. Podemos citar como resultado deste tipo de poluição o aumento de gás carbônico na atmosfera que agrava o efeito estufa acarretando aumento na temperatura global da Terra.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
O texto versa sobre a Primeira Revolução Industrial, ocorrida na Inglaterra, marcada pela invenção da máquina a vapor, movida a carvão mineral. Tal invenção, além de promover a mudança da manufatura para a maquinofatura e a aceleração do processo produtivo, fez com que a poluição ambiental aumentasse substancialmente.   

Resposta da questão 9:

 [B]

O texto [I] deixa clara a importância da máquina a vapor na mudança radial no sistema de produção e, logo, acentua as inovações tecnológicas e o texto [II] apresenta uma mudança na forma de trabalho durante a Revolução Industrial, do trabalho doméstico para o trabalho fabril, mostrando, então, as mudanças no mundo do trabalho.  

Resposta da questão 10:

 [A]  



segunda-feira, 30 de junho de 2014

Simulado de História para a prova do 2º bimestre



Conforme o combinado, segue o link para o simulado de História contendo os seguintes assuntos

Colonização espanhola;
Colonização inglesa e francesa;
Revoluções inglesas;
Revolução industrial;
Iluminismo

Minha sugestão é que não usem o momento do simulado para consultas, por dois motivos: Deve ser uma simulação de prova e prova é sem consulta. (caso queira anote os assuntos nos quais se sentir inseguro para posterior consulta); o sistema pode travar devido ao tempo demasiado gasto na questão.

Não deixem de, quando o gabarito for liberado,  retornar à prova para identificar seu erros e acertos. Essa revisão, na minha opinião é tão importante quanto o simulado.

Para entrar no simulado, click no link abaixo:

http://www.sprweb.com.br/lista/?COD=1845059518


Bons estudos,

Professor Arão Alves

sábado, 21 de junho de 2014

Questões 2014 - questões discursivas com gabarito comentado


1. (Uerj 2014)  A liberdade política é esta tranquilidade de espírito que provém da opinião que cada um tem sobre a sua segurança; e para que se tenha esta liberdade é preciso que o governo seja tal que um cidadão não possa temer outro cidadão. Quando o poder legislativo está reunido ao poder executivo, não existe liberdade. Tampouco existe liberdade se o poder de julgar não for separado do poder legislativo e do executivo.

Montesquieu. O espírito das leis, 1748.


O direito eleitoral ampliado, a dominação do parlamento, a debilidade do governo, a insignificância do presidente e a prática do referendo não respondem nem ao caráter, nem à missão que o Estado alemão deve cumprir tanto no presente como no futuro próximo.

Jornal Kölnishe Zeitung, 04/08/1919. Adaptado de REIS FILHO, Daniel Aarão (org.). História do século XX. Volume 2. Rio de Janeiro: Record, 2002.


Os trechos apresentam aspectos do pensamento político em duas épocas distintas: o liberalismo proposto por Montesquieu no século XVIII e a crise do liberalismo na crítica de um jornal alemão na recém-estabelecida República de Weimar.

Identifique um dos princípios liberais expresso no texto de Montesquieu e a opinião no texto do jornal alemão que contradiz esse princípio. Apresente, também, um fator que explique a crise do liberalismo no período entre as duas grandes guerras.


Resposta:

Um dos princípios liberais: a divisão dos poderes em três, como forma de não concentrar o poder nas mãos de apenas uma pessoa;
Opinião do jornal que contradiz o princípio: "a dominação do parlamento, a debilidade do governo, a insignificância do presidente";
Com a crise econômica que abateu o mundo no período entre-guerras, o sistema liberal entrou em colapso, com especial destaque para a Crise de 1929, nos EUA. Em países europeus já debilitados pela Primeira Guerra, como a Alemanha, a crise econômica fortaleceu a formação de regimes de extrema direita, como o Fascismo.



  
2. (Uerj 2014)  A história latino-americana na década de 1970 foi marcada pela vigência de governos ditatoriais. As fotografias abaixo remetem ao golpe militar ocorrido no Chile em setembro de 1973.



Cite duas características comuns aos governos ditatoriais latino-americanos. Em seguida, identifique uma das principais reivindicações da sociedade chilena com relação às heranças do golpe de 1973.


Resposta:

Características comuns:
1) líderes populistas;
2) tortura e repressão contra os "inimigos";

Reivindicação do povo chileno: punição aos líderes do movimento do golpe.



  
3. (Unesp 2014)  O início foi o problema mais complexo que a colonização do Brasil teve de enfrentar. Tornou-se tal – e é nisto que se distingue do caso norte-americano tão citado em paralelo com o nosso – pelo objetivo que se teve em vista: aproveitar o indígena na obra da colonização. Nos atuais Estados Unidos, como no Canadá, nunca se pensou em incorporar o índio, fosse a que título, na obra colonizadora do branco.
O caso da colonização lusitana foi outro.

(Caio Prado Júnior. Formação do Brasil contemporâneo, 1987. Adaptado.)


Caracterize a relação entre colonos e indígenas na colonização dos Estados Unidos e identifique  duas formas de “aproveitamento” do indígena na colonização do Brasil.


Resposta:

A relação entre colonos e indígenas nas Treze Colônias foi marcada, na maior parte do tempo, pela visão negativa do europeu sobre o indígena. As terras indígenas foram ocupadas sob o argumento teológico da predestinação dos peregrinos e houve a escravização do indígena, principalmente nas colônias do Sul.

No Brasil Colônia, as duas principais relações estabelecidas entre colonos e indígenas foram os ESCAMBOS na extração do pau-brasil e a EXPLORAÇÂO DAS DROGAS DO SERTÃO na Região Norte.



  
4. (Unicamp 2014)  Desde o início da colonização, os portugueses chamaram de tapuias os grupos indígenas que julgavam bárbaros, por seus hábitos culturais distintos dos que habitavam o litoral e por seu poder de resistência aos portugueses.

a) Contextualize historicamente os significados de Guerra Justa para os portugueses a partir do fim da Idade Média.
b) Indique duas práticas dos indígenas que os portugueses consideravam bárbaras.


Resposta:

a) O conceito de Guerra Justa, derivado do Império Romano, era empregado em qualquer caso no qual a guerra era considerada um dever moral. A teoria da Guerra Justa teve vários teóricos, desde Cícero (Roma Antiga) até Immanuel Kant (Inglaterra). O termo era usado para justificar um conflito considerado necessário, seja por ser preventivo, seja por ser contra os inimigos do poder em vigor, seja para civilizar os não-civilizados. Tal conceito foi empregado pelos europeus em eventos como as Cruzadas e a escravização dos indígenas da América.

b) Dos costumes indígenas na América, dois, em particular, eram considerados bárbaros pelos europeus: a poligamia e a antropofagia.



  
5. (Fuvest 2014)  Subindo ao poder em outubro de 1930, Getúlio Vargas nele permaneceu por quinze anos, sucessivamente, como chefe de um governo provisório, presidente eleito pelo voto indireto e ditador. Deposto em 1945, seria eleito presidente pelo voto popular em 1950, não chegando a completar o mandato por se suicidar em 1954.

Boris Fausto. História do Brasil. 2ª ed. São Paulo: Edusp, 1995, p. 331. Adaptado.

O primeiro período de governo de Getúlio Vargas (19301945) iniciouse com um golpe; o último (19511954), com um processo eleitoral direto.

a) Identifique outras duas diferenças entre esses períodos.

b) Caracterize as relações entre o Brasil e os Estados Unidos da América em cada um desses períodos.


Resposta:

a) O contexto histórico mundial em 1930 foi marcado por um Estado forte, intervencionista e com ênfase nacionalista. O cenário mundial em 1950 era bem diferente. Com o fim da II Guerra Mundial em 1945 e a derrota dos regimes totalitários o mundo começa a se redemocratizar valorizando mais a liberdade, a democracia e o individualismo.


b) Na década de 1930, no contexto da II Guerra Mundial, Vargas se aproximou do EUA devido a “Política da Boa vizinhança” do presidente dos USA Franklin D. Roosevelt. Na década de 1950 a relação entre Brasil e EUA foi tensa devido, entre outros, ao nacionalismo de Vargas que criou estatais como a Petrobrás e a Guerra da Coreia na qual Vargas não enviou tropas brasileiras para lutar na Guerra da Coreia que ocorreu entre 1950-1953. 




HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados