Google+ Followers

Oriente Médio e Palestina

domingo, 20 de agosto de 2017

Crise do Estado novo e a Constituinte de 1946





1.   “Visto que, de fato, a Constituição de 1946 estabeleceu normas e medidas para a instalação de uma estrutura democrática no país, dando ensejo a uma abertura do processo político nos dezoito anos subsequentes, ao observador mais descuidado a redemocratização pode parecer mais radical do que na realidade o foi.”

SOUZA, Maria do Carmo Campello de. Estado e Partidos Políticos no Brasil (1930-1964). São Paulo: Alfa-Omega, 1976, p. 105.

Com base nas afirmações contidas no texto, é possível afirmar que
a) a redemocratização iniciada em 1945 perdeu sua radicalidade por ter sido apenas um ritual político, vazio de efetivos partidos.   
b) a redemocratização de 1945 só pôde existir em função da criação de três novos grandes partidos políticos, totalmente independentes de vínculos com o Estado Novo: o PSD, a UDN e o PTB.   
c) o retorno do pluripartidarismo e de eleições diretas foram superpostos à estrutura herdada do Estado Novo, marcada pelo sindicalismo corporativista e pelo sistema de interventorias.   
d) a redemocratização não foi radical devido à preponderância que teve, junto a ela, a União Democrática Nacional (UDN), partido formado com o beneplácito de Vargas.   
e) a hipertrofia do Poder Legislativo foi uma das consequências da redemocratização.   


Resposta:

[C]

Com a redemocratização se formaram novos partidos, que tiveram atuação destacada no período subsequente, como por exemplo, o PTB e PSD (ligados ao varguismo) e a UDN e PSP, (antivarguistas). Ao final da ditadura, restabeleceu-se uma Constituição e organização democrática do Estado, enfraquecendo o sindicalismo corporativista e que eliminou o sistema de interventorias.

sábado, 12 de agosto de 2017

Enem História e Geografia. Questões comentadas






Para não perder as novidades, inscreva-se no canal:

https://www.youtube.com/channel/UC23whF6cXzlap-O76f1uyOw/videos?sub_confirmation=1 




1.   Texto I

O Cerrado brasileiro apresenta diversos aspectos favoráveis, mas tem como problema a baixa fertilidade de seus solos. A grande maioria é ácido, com baixo pH.
Disponível em: www.fmb.edu.br. Acesso em: 21 dez. 2012 (adaptado).


Texto II

O crescimento da participação da Região Central do Brasil na produção de soja foi estimulado, entre outros fatores, por avanços científicos em tecnologias para manejo de solos.
Disponível em: www.conhecer.org.br. Acesso em: 19 dez. 2012 (adaptado).


Nos textos, são apresentados aspectos do processo de ocupação de um bioma brasileiro. Uma tecnologia que permite corrigir os limites impostos pelas condições naturais está indicada em:
a) Calagem.   
b) Hidroponia.   
c) Terraceamento.   
d) Cultivo orgânico.   
e) Rotação de culturas.   


Resposta:

[A]

O agronegócio avançou sobre o domínio morfoclimático do Cerrado nas últimas décadas devido às novas tecnologias como o emprego da calagem (adição de cal) no solo para a correção da acidez, utilização de fertilizantes devido ao baixo teor de nutrientes minerais e aplicação de biotecnologia.



  
2.   Ações de educação patrimonial são realizadas em diferentes contextos e localidades e têm mostrado resultados surpreendentes ao trazer à tona a autoestima das comunidades. Em alguns casos, promovem o desenvolvimento local e indicam soluções inovadoras de reconhecimento e salvaguarda do patrimônio cultural para muitas populações.
PELEGRINI, S. C. A.; PINHEIRO, A. P. (Orgs.). Tempo, memória e patrimônio cultural.
Piauí: Edupi, 2010.


A valorização dos bens mencionados encontra-se correlacionada a ações educativas que promovem a(s)
a) evolução de atividades artesanais herdadas do passado.   
b) representações sociais formadoras de identidades coletivas.   
c) mobilizações políticas criadoras de tradições culturais urbanas.   
d) hierarquização de festas folclóricas praticadas por grupos locais.   
e) formação escolar dos jovens para o trabalho realizado nas comunidades.   


Resposta:

[B]

As ações de educação patrimonial voltadas para a conservação do patrimônio cultural, histórico e arquitetônico são importantes para o fortalecimento das identidades coletivas locais. Também podem contribuir para a revitalização das economias regionais, a exemplo do desenvolvimento de atividades como o turismo que valorizam os atributos culturais locais.



  
3.   Quanto mais complicada se tornou a produção industrial, mais numerosos passaram a ser os elementos da indústria que exigiam garantia de fornecimento. Três deles eram de importância fundamental: o trabalho, a terra e o dinheiro. Numa sociedade comercial, esse fornecimento só poderia ser organizado de uma forma: tornando-os disponíveis a compra. Agora eles tinham que ser organizados para a venda no mercado. Isso estava de acordo com a exigência de um sistema de mercado. Sabemos que em um sistema como esse, os lucros só podem ser assegurados se se garante a autorregulação por meio de mercados competitivos interdependentes.

POLANYI, K. A grande transformação: as origens de nossa época.
Rio de Janeiro: Campus, 2000 (adaptado).


A consequência do processo de transformação socioeconômica abordado no texto é a
a) expansão das terras comunais.   
b) limitação do mercado como meio de especulação.   
c) consolidação da força de trabalho como mercadoria.   
d) diminuição do comércio como efeito da industrialização.    
e) adequação do dinheiro como elemento padrão das transações.   


Resposta:

[C]

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Geografia]
A consolidação do capitalismo industrial provocou mudanças importantes na organização da sociedade, a exemplo da divisão social em classes (burguesia e proletariado), a acumulação de capital através da elevação dos lucros, a propriedade privada dos meios de produção e a difusão do trabalho assalariado.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Sociologia]
Em um sistema capitalista consolidado, tudo se torna mercadoria. Assim, não só o produto do trabalho humano, mas a própria força de trabalho é considerada como mercadoria. Não por acaso, é nesse momento que se formou aquilo que é denominado mercado de trabalho.



  
4.   O Painel lntergovernamental de Mudanças Climáticas (na sigla em inglês, IPCC) prevê que nas próximas décadas o planeta passará por mudanças climáticas e propõe estratégias de mitigação e adaptação a elas. As estratégias de mitigação são direcionadas à causa dessas mudanças, procurando reduzir a concentração de gases de efeito estufa na atmosfera. As estratégias de adaptação, por sua vez, são direcionadas aos efeitos dessas mudanças, procurando preparar os sistemas humanos às mudanças climáticas já em andamento, de modo a reduzir seus efeitos negativos.

IPCC, 2014. Climate Change 2014: synthesis report. Disponível em: http://ar5-syr.ipcc.ch.
Acesso em: 22 out. 2015 (adaptado).


Considerando as informações do texto, qual ação representa uma estratégia de adaptação?
a) Construção de usinas eólicas.   
b) Tratamento de resíduos sólidos.   
c) Aumento da eficiência dos veículos.   
d) Adoção de agricultura sustentável de baixo carbono.   
e) Criação de diques de contenção em regiões costeiras.    


Resposta:

[E]

O Aquecimento Global é causado pela intensificação do efeito estufa por atividades humanas que levam ao aumento das emissões de gases como o dióxido de carbono. Entre as consequências estão a elevação da temperatura, o derretimento parcial das geleiras, aumento do nível do mar, fenômenos climáticos extremos e perda de biodiversidade. Entre as medidas de adaptação, a mudança climática e a construção de diques para a contenção nas áreas costeiras que poderá evitar a inundação de cidades litorâneas.



  
5.   Pesca industrial provoca destruição na África

O súbito desaparecimento do bacalhau dos grandes cardumes da Terra Nova, no final do século XX – o que ninguém havia previsto –, teve o efeito de um eletrochoque planetário. Lançada pelos bascos no século XV, a pesca e depois a sobrepesca desse grande peixe de água fria levaram ao impensável. Ao Canadá o bacalhau nunca mais voltou. E o que ocorreu no Atlântico Norte está acontecendo em outros mares. Os maiores navios do mundo seguem agora em direção ao sul, até os limites da Antártida, para competir pelos estoques remanescentes.

MORA. J. S. Disponível em: www.diplomatique.com.br. Acesso em: 14 jan. 2014.


O problema exposto no texto jornalístico relaciona-se à
a) insustentabilidade do modelo de produção e consumo.   
b) fragilidade ecológica de ecossistemas costeiros.   
c) inviabilidade comercial dos produtos marinhos.   
d) mudança natural nos oceanos e mares.    
e) vulnerabilidade social de áreas pobres.   


Resposta:

[A]

A sobrepesca (pesca excessiva) é um grave problema ambiental, uma vez que reduz as populações de peixes nos Oceanos. O risco é de extinção de várias espécies. Esta atividade econômica é um exemplo da ausência de sustentabilidade no modelo capitalista atual que estimula o consumismo em larga escala. É fundamental estimular o desenvolvimento sustentável através de práticas como a piscicultura.



  
6.   A geografia mundial da inovação sofreu uma reviravolta que mobiliza fatores humanos, financeiros e tecnológicos.

Esforço humano: com  milhão de pesquisadores, a China dispõe de um potencial equivalente a  da capacidade norte-americana e  da europeia; segundo a National Science Foundation norte-americana, o país deverá concentrar  de todos os pesquisadores do mundo até 2025.

Esforço financeiro: em 2009, pela primeira vez, a China apresentou um orçamento para pesquisa que a colocou em segundo lugar no mundo – ainda bastante longe dos Estados Unidos, mas à frente do Japão.

Esforço tecnológico: em 2011, o país se tornou o primeiro depositante mundial de patentes, graças a uma estratégia nacional que visa passar do Made in China (produzido na China) para o Designed in China (projetado na China).

CARROUÉ, L. Desindustrialização. Disponível em: www.diplomatique.org.br.
Acesso em: 30 jul. 2013 (adaptado).


O texto apresenta um novo fator a ser considerado para refletir sobre o papel produtivo entre os países, representado pela
a) aplicação da ciência e tecnologia no desenvolvimento produtivo, que aumenta o potencial inventivo.   
b) ampliação da capacidade da indústria de base, que coopera para diversificar os níveis produtivos.   
c) exploração da mão de obra, que atrai fluxo de investimentos industriais para os países.   
d) inserção de pesquisas aplicadas ao setor financeiro, que incentiva a livre concorrência.   
e) transnacionalização do capital industrial, que eleva os lucros em escala planetária.   


Resposta:

[A]

A China é a 2ª maior economia do mundo, apresenta o maior parque industrial e maior exportação global. O país investe firmemente em educação, ciência e tecnologia que se traduz em produtos cada vez mais sofisticados em setores como indústria de bens de consumo, energia e setor aeroespacial.



  
7.   No início de maio de 2014, a instalação da plataforma petrolífera de perfuração HYSY-981 nas águas contestadas do Mar da China Meridional suscitou especulações sobre as motivações chinesas. Na avaliação de diversos observadores ocidentais, Pequim pretendeu, com esse gesto, demonstrar que pode impor seu controle e dissuadir outros países de seguir com suas reivindicações de direito de exploração dessas águas, como é o caso do Vietnã e das Filipinas.
                            
KLARE, MT. A guerra pelo petróleo se joga no mar. Le Monde Diplomatique Brasil, abr. 2015.


A ação da China em relação à situação descrita no texto evidencia um conflito que tem como foco o(a):
a) Distribuição das zonas econômicas especiais.   
b) Monopólio das inovações tecnológicas extrativas.   
c) Dinamização da atividade comercial.   
d) Jurisdição da soberania territorial.    
e) Embargo da produção industrial.    


Resposta:

[D]

A China disputa com outros países asiáticos, como Vietnã, Filipinas e Malásia, várias ilhas no Mar da China Meridional, entre as quais as Ilhas Paracel. Constituem importantes litígios territoriais na atualidade. Trata-se de uma disputa por território, importantes rotas de navegação e recursos naturais como petróleo e gás natural na região. A instalação pela China de uma plataforma petrolífera na região e a construção de ilhas artificiais tem causado tensão geopolítica na região.



  
8.   Algumas regiões do Brasil passam por uma crise de água por causa da seca. Mas, uma região de Minas Gerais está enfrentando a falta de água no campo tanto em tempo de chuva como na seca. As veredas estão secando no norte e no noroeste mineiro. Ano após ano, elas vêm perdendo a capacidade de ser a caixa-d’água do grande sertão de Minas.

VIEIRA. C. Degradação do solo causa perda de fontes de água de famílias de MG. Disponível em: http://g1.globo.com.Acesso em: 1 nov. 2014.


As veredas têm um papel fundamental no equilíbrio hidrológico dos cursos de água no ambiente do Cerrado, pois
a) colaboram para a formação de vegetação xerófila.   
b) formam os leques aluviais nas planícies das bacias.   
c) fornecem sumidouro para as águas de recarga da bacia.   
d) contribuem para o aprofundamento dos talvegues à jusante.   
e) constituem um sistema represador da água na chapada.   


Resposta:

[E]

O domínio do Cerrado (planaltos com chapadas, clima tropical, vegetação de Cerrado, rios perenes e solo pobre e ácido) ocupa o Brasil central, incluindo parte de Minas Gerais. No interior do bioma do Cerrado, as veredas são formações vegetais caracterizadas pela concentração de palmeiras (buritis). As veredas ocorrem em solos hidromórficos (encharcados de água). Portanto, as veredas constituem áreas com afloramento de água e nascentes que contribuem para a formação de importantes rios do Centro-Oeste e de Minas Gerais.



  
9.   Tanto potencial poderia ter ficado pelo caminho, se não fosse o reforço em tecnologia que um gaúcho buscou. Há pouco mais de oito anos, ele usava o bico da botina para cavoucar a terra e descobrir o nível de umidade do solo, na tentativa de saber o momento ideal para acionar os pivôs de irrigação. Até que conheceu uma estação meteorológica que, instalada na propriedade, ajuda a determinar a quantidade de água de que a planta necessita. Assim, quando inicia um plantio, o agricultor já entra no site do sistema e cadastra a área, o pivô, a cultura, o sistema de plantio, o espaçamento entre linhas e o número de plantas, para então receber recomendações diretamente dos técnicos da universidade.

CAETANO. M. O valor de cada gota. Globo Rural. n. 312. out. 2011.


A implementação das tecnologias mencionadas no texto garante o avanço do processo de
a) monitoramento da produção.   
b) valorização do preço da terra.   
c) correção dos fatores climáticos.   
d) divisão de tarefas na propriedade.   
e) estabilização da fertilidade do solo.   


Resposta:

[A]

O agronegócio moderno conta com o auxílio da ciência e da tecnologia a serviço da produção. O conhecimento meteorológico e climatológico sofisticado permite ao agricultor um monitoramento da produção definindo ações como a quantidade de água necessária para irrigação conforme a previsão de pluviosidade ou de estiagem. O conhecimento agronômico permite o manejo adequado para a conservação do solo com o apoio de organismos públicos e privados. O acesso à tecnologia é facilitado pela disponibilidade de capital e redes de informática e telecomunicações no território.



  
10.   Até o fim de 2007, quase 2 milhões de pessoas perderam suas casas e outros 4 milhões corriam o risco de ser despejadas. Os valores das casas despencaram em quase todos os EUA e muitas famílias acabaram devendo mais por suas casas do que o próprio valor do imóvel. Isso desencadeou uma espiral de execuções hipotecárias que diminuiu ainda mais os valores das casas. Em Cleveland, foi como se um “Katrina financeiro” atingisse a cidade. Casas abandonadas, com tábuas em janelas e portas, dominaram a paisagem nos bairros pobres, principalmente negros. Na Califórnia, também se enfileiraram casas abandonadas.

HARVEY, D. O enigma do capital. São Paulo: Boitempo, 2011.


Inicialmente restrita, a crise descrita no texto atingiu proporções globais, devido ao(à)
a) superprodução de bens de consumo.   
b) colapso industrial de países asiáticos.   
c) interdependência do sistema econômico.   
d) isolamento político dos países desenvolvidos.   
e) austeridade fiscal dos países em desenvolvimento.   


Resposta:

[C]

A crise financeira mundial começou em 2008 nos Estados Unidos, o epicentro foi a acentuada inadimplência no setor imobiliário, mas também estava relacionada a fragilidades mais amplas, o excesso de crédito para estimular a economia, especulação financeira desmedida e desequilíbrio nas contas públicas (deficit e dívida pública elevada). Como o sistema financeiro está interligado, visto que um desaquecimento na economia dos EUA afeta o comércio exterior e as finanças de outros países, logo a crise se propagou para a União Europeia e mais recentemente para os países emergentes como os BRICS.



  
11.   A Lei das Doze Tábuas, de meados do século V a.C., fixou por escrito um velho direito costumeiro. No relativo às dívidas não pagas, o código permitia, em última análise, matar o devedor; ou vendê-lo como escravo “do outro lado do Tibre” – isto é, fora do território de Roma.
CARDOSO, C. F. S. O trabalho compulsório na Antiguidade. Rio de Janeiro: Graal, 1984.


A referida lei foi um marco na luta por direitos na Roma Antiga, pois possibilitou que os plebeus
a) modificassem a estrutura agrária assentada no latifúndio.   
b) exercessem a prática da escravidão sobre seus devedores.   
c) conquistassem a possibilidade de casamento com os patrícios.   
d) ampliassem a participação política nos cargos políticos públicos.   
e) reivindicassem as mudanças sociais com base no conhecimento das leis.   


Resposta:

[E]

A Lei das Doze Tábuas transformou o Direito Romano de falado em escrito, ou seja, tornou-o fixo, público e comum a Patrícios e Plebeus.



  
12.   Pois quem seria tão inútil ou indolente a ponto de não desejar saber como e sob que espécie de constituição os romanos conseguiram em menos de cinquenta e três anos submeter quase todo o mundo habitado ao seu governo exclusivo – fato nunca antes ocorrido? Ou, em outras palavras, quem seria tão apaixonadamente devotado a outros espetáculos ou estudos a ponto de considerar qualquer outro objetivo mais importante que a aquisição desse conhecimento?

POLÍBIO. História. Brasília: Editora UnB, 1985.


A experiência a que se refere o historiador Políbio, nesse texto escrito no século II a.C., é a
a) ampliação do contingente de camponeses livres.   
b) consolidação do poder das falanges hoplitas.   
c) concretização do desígnio imperialista.    
d) adoção do monoteísmo cristão.   
e) libertação do domínio etrusco.   


Resposta:

[C]

A experiência romana a que o texto faz menção é a vocação imperialista, desenvolvida principalmente a partir da República, quando Roma domina todas as terras em torno do Mar Mediterrâneo, passando a chamá-lo de Mare Nostrum.



  
13.   Em virtude da importância dos grandes volumes de matérias-primas na indústria química – eram necessárias dez a doze toneladas de ingredientes para fabricar uma tonelada de soda –, a indústria teve uma localização bem definida quase que desde o início. Os três centros principais eram a área de Glasgow e as margens do Mersey e do Tyne.
LANDES, D. S. Prometeu desacorrentado: transformação tecnológica e desenvolvimento industrial na Europa ocidental, desde 1750 até a nossa época.
Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994.


A relação entre a localização das indústrias químicas e das matérias-primas nos primórdios da Revolução Industrial provocou
a) a busca pela isenção de impostos.    
b) intensa qualificação da mão de obra.   
c) diminuição da distância dos mercados consumidores.   
d) concentração da produção em determinadas regiões do país.   
e) necessidade do desenvolvimento de sistemas de comunicação.   


Resposta:

[D]

Para tornar a produção o mais rentável possível, as primeiras fábricas abertas na Inglaterra procuraram ficar perto das áreas fornecedoras de matéria-prima. Por isso, houve a concentração de fábricas em áreas como Glasgow, Mersey, Tyne, Manchester e Birmingham.



  
14.   Quando surgiram as primeiras notícias sobre a presença de seres estranhos, chegados em barcos grandes como montanhas, que montavam numa espécie de veados enormes, tinham cães grandes e ferozes e possuíam instrumentos lançadores de fogo, Montezuma e seus conselheiros ficaram pensando: de um lado, talvez Quetzalcóatl houvesse regressado, mas, de outro, não tinham essa confirmação.

PINSKY, J. et. al. História da América através de textos. São Paulo: Contexto, 2007 (adaptado).


A dúvida apresentada inseria-se no contexto da chegada dos primeiros europeus à América, e sua origem estava relacionada ao
a) domínio da religião e do mito.   
b) exercício do poder e da política.   
c) controle da guerra e da conquista.   
d) nascimento da filosofia e da razão.   
e) desenvolvimento da ciência e da técnica.   


Resposta:

[A]

A dúvida citada no texto mostra a importância que o fator religioso tinha para a civilização asteca. A crença no mito da volta de Quetzalcoátl fez o imperador asteca Montezuma demorar a reagir à invasão espanhola nas terras do atual México.



  
15.   A história não corresponde exatamente ao que foi realmente conservado na memória popular, mas àquilo que foi selecionado, escrito, descrito, popularizado e institucionalizado por quem estava encarregado de fazê-lo. Os historiadores, sejam quais forem seus objetivos, estão envolvidos nesse processo, uma vez que eles contribuem, conscientemente ou não, para a criação, demolição e reestruturação de imagens do passado que pertencem não só ao mundo da investigação especializada, mas também à esfera pública na qual o homem atua como ser político.

HOBSBAWN, E.; RANGER, T. A Invenção das tradições.
Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984 (adaptado).


Uma vez que a neutralidade é inalcançável na atividade mencionada, é tarefa do profissional envolvido
a) criticar as ideias dominantes.   
b) respeitar os interesses sociais.   
c) defender os direitos das minorias.   
d) explicitar as escolhas realizadas.   
e) satisfazer os financiadores de pesquisas.   


Resposta:

[D]

O processo de produção histórica é pessoal: cada historiador, ao analisar uma fonte, faz a ela as “perguntas” que acha conveniente para o objeto da sua pesquisa. Nesse sentido, cabe ao historiador deixar claro qual a intenção e o objetivo de suas escolhas de pesquisa.



  
16.   Iniciou-se em 1903 a introdução de obras de arte com representações de bandeirantes no acervo do Museu Paulista, mediante a aquisição de uma tela que homenageava o sertanista que comandara a destruição do Quilombo de Palmares. Essa aquisição, viabilizada por verba estadual, foi simultânea à emergência de uma interpretação histórica que apontava o fenômeno do sertanismo paulista como o elo decisivo entre a trajetória territorial do Brasil e de São Paulo, concepção essa que se consolidaria entre os historiadores ligados ao Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo ao longo das três primeiras décadas do século XX.

MARINS, P. c. G. Nas matas com pose de reis: a representação de bandeirantes e a tradição da retratística monárquica europeia. Revista do LEB, n. 44, tev. 2007.


A prática governamental descrita no texto, com a escolha dos temas das obras, tinha como propósito a construção de uma memória que
a) afirmava a centralidade de um estado na política do país.   
b) resgatava a importância da resistência escrava na história brasileira.   
c) evidenciava a importância da produção artística no contexto regional.   
d) valorizava a saga histórica do povo na afirmação de uma memória social.   
e) destacava a presença do indígena no desbravamento do território colonial.   


Resposta:

[A]

Na chamada República Oligárquica, o estado de São Paulo buscava ocupar um lugar de hegemonia na política nacional, uma vez que já comandava a economia brasileira devido ao ciclo do café. Assim, o uso da figura do bandeirante nas obras de arte foi uma forma de legitimar essa hegemonia.



  
17.   TEXTO I

Em todo o país a lei de 13 de maio de 1888 libertou poucos negros em relação à população de cor. A maioria já havia conquistado a alforria antes de 1888, por meio de estratégias possíveis. No entanto, a importância histórica da lei de 1888 não pode ser mensurada apenas em termos numéricos. O impacto que a extinção da escravidão causou numa sociedade constituída a partir da legitimidade da propriedade sobre a pessoa não cabe em cifras.

ALBUQUERQUE. W. O jogo da dissimulação: Abolição e cidadania negra no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 2009 (adaptado).


TEXTO II

Nos anos imediatamente anteriores à Abolição, a população livre do Rio de Janeiro se tornou mais numerosa e diversificada. Os escravos, bem menos numerosos que antes, e com os africanos mais aculturados, certamente não se distinguiam muito facilmente dos libertos e dos pretos e pardos livres habitantes da cidade. Também já não é razoável presumir que uma pessoa de cor seja provavelmente cativa, pois os negros libertos e livres poderiam ser encontrados em toda parte.

CHALHOUB, S. Visões da liberdade: uma história das últimas décadas da escravidão na Corte. São Paulo: Cia. das Letras, 1990 (adaptado).


Sobre o fim da escravidão no Brasil, o elemento destacado no Texto I que complementa os argumentos apresentados no Texto II é o(a)
a) variedade das estratégias de resistência dos cativos.   
b) controle jurídico exercido pelos proprietários.   
c) inovação social representada pela lei.   
d) ineficácia prática da libertação.   
e) significado político da Abolição.   


Resposta:

[E]

O único elemento que podemos destacar do texto I que complementa o texto II é o seguinte: “(...) no entanto, a importância histórica [caráter político, observação da corretora] da lei de 1888 não pode ser mensurada apenas em termos numéricos. O impacto que a extinção da escravidão causou numa sociedade constituída a partir da legitimidade da propriedade sobre a pessoa não cabe em cifras (...)”. Nele, fica claro que o autor faz referência ao significado político da Abolição.



  
18.   Decreto-lei 3.509, de 12 de setembro de 1865
Art. 1º – O cidadão guarda-nacional que por si apresentar outra pessoa para o serviço do Exército por tempo de nove anos, com a idoneidade regulada pelas leis militares, ficará isento não só do recrutamento, senão também do serviço da Guarda Nacional. O substituído é responsável por o que o substituiu, no caso de deserção.

Arquivo Histórico do Exército. Ordem do dia do Exército, n. 455, 1865 (adaptado).


No artigo, tem-se um dos mecanismos de formação dos “Voluntários da Pátria”, encaminhados para lutar na Guerra do Paraguai. Tal prática passou a ocorrer com muita frequência no Brasil nesse período e indica o(a)
a) forma como o Exército brasileiro se tornou o mais bem equipado da América do Sul.   
b) Incentivo de grandes proprietários à participação dos seus filhos no conflito.   
c) solução adotada pelo país para aumentar o contingente de escravos no conflito.   
d) envio de escravos para os conflitos armados, visando sua qualificação para o trabalho.   
e) Fato de que muitos escravos passaram a substituir seus proprietários em troca de liberdade.   


Resposta:

[E]

Na formação dos Voluntários da Pátria para compor o exército brasileiro, na Guerra do Paraguai, muitos senhores acabaram convencendo seus escravos a se alistarem em seus lugares em troca da alforria. O Exército brasileiro que lutou tal Guerra teve maciça presença de negros, o que chegou a ser objeto de piada no Paraguai.



  
19.   Em 1943, Getúlio Vargas criou o Departamento de Propaganda e Difusão Cultural junto ao Ministério da Justiça, esvaziando o Ministério da Educação não só da propaganda, mas também do rádio e do cinema. A decisão tinha como objetivo colocar os meios de comunicação de massa a serviço direto do Poder Executivo, iniciativa que tinha inspiração direta no recém-criado Ministério da Propaganda alemão.

CAPELATO, M. H. Propaganda política e controle dos meios de comunicação.
Rio de Janeiro: FGV, 1999.


No contexto citado, a transferência de funções entre ministérios teve como finalidade o(a)
a) desativação de um sistema tradicional de comunicação voltado para a educação.   
b) controle do conteúdo da informação por meio de uma orientação política e ideológica.   
c) subordinação do Ministério da Educação ao Ministério da Justiça e ao Poder Executivo.   
d) ampliação do raio de atuação das emissoras de rádio como forma de difusão da cultura popular.   
e) demonstração de força política do Executivo diante de ministérios herdados do governo anterior.   


Resposta:

[B]

Vargas pretendia, dentro do regime do Estado Novo, controlar a circulação de informações a seu favor, aos moldes do que os governos nazifascistas faziam na Europa.



  
20.   O que implica o sistema da pólis é uma extraordinária preeminência da palavra sobre todos os outros instrumentos do poder. A palavra constitui o debate contraditório, a discussão, a argumentação e a polêmica. Torna-se a regra do jogo intelectual, assim como do jogo político.
VERNANT, J. P. As origens do pensamento grego. Rio de Janeiro: Bertrand, 1992 (adaptado).


Na configuração política da democracia grega, em especial a ateniense, a ágora tinha por função
a) agregar os cidadãos em torno de reis que governavam em prol da cidade.   
b) permitir aos homens livres o acesso às decisões do Estado expostas por seus magistrados.   
c) constituir o lugar onde o corpo de cidadãos se reunia para deliberar sobre as questões da comunidade.   
d) reunir os exercícios para decidir em assembleias fechadas os rumos a serem tomados em caso de guerra.   
e) congregar a comunidade para eleger representantes com direito a pronunciar-se em assembleias.   


Resposta:

[C]

A ágora era a praça pública onde os cidadãos atenienses discutiam os rumos da cidade.



  
21.   Texto I

Fragmento B91: Não se pode banhar duas vezes no mesmo rio, nem substância mortal alcançar duas vezes a mesma condição; mas pela intensidade e rapidez da mudança, dispersa e de novo reúne.
HERÁCLITO. Fragmentos (Sobre a natureza). São Paulo: Abril Cultural, 1996 (adaptado).


Texto II

Fragmento B8: São muitos os sinais de que o ser é ingênito e indestrutível, pois é compacto, inabalável e sem fim; não foi nem será, pois é agora um todo homogêneo, uno, contínuo. Como poderia o que é perecer? Como poderia gerar-se?
PARMÊNIDES. Da natureza. São Paulo: Loyola, 2002 (adaptado).


Os fragmentos do pensamento pré-socrático expõem uma oposição que se insere no campo das
a) investigações do pensamento sistemático.    
b) preocupações do período mitológico.    
c) discussões de base ontológica.    
d) habilidades da retórica sofística.   
e) verdades do mundo sensível.   


Resposta:

[C]

Heráclito e Parmênides apresentam visões opostas sobre uma mesma questão: “o que é o ser?”. Enquanto o primeiro defende a volatilidade, o segundo afirma a imutabilidade. Tal questionamento ontológico é a base das discussões pré-socráticas, ainda que as respostas para essa pergunta sejam diversas.



  
22.   Pirro afirmava que nada é nobre nem vergonhoso, justo ou injusto; e que, da mesma maneira, nada existe do ponto de vista da verdade; que os homens agem apenas segundo a lei e o costume, nada sendo mais isto do que aquilo. Ele levou uma vida de acordo com esta doutrina, nada procurando evitar e não se desviando do que quer que fosse, suportando tudo, carroças, por exemplo, precipícios, cães, nada deixando ao arbítrio dos sentidos.

LAÉRCIO, D. Vidas e sentenças dos filósofos ilustres. Brasília: Editora UnB, 1988.


O ceticismo, conforme sugerido no texto, caracteriza-se por:
a) Desprezar quaisquer convenções e obrigações da sociedade.   
b) Atingir o verdadeiro prazer como o princípio e o fim da vida feliz.   
c) Defender a indiferença e a impossibilidade de obter alguma certeza.   
d) Aceitar o determinismo e ocupar-se com a esperança transcendente.   
e) Agir de forma virtuosa e sábia a fim de enaltecer o homem bom e belo.    


Resposta:

[C]

O ceticismo pode ser caracterizado como a consciência da impossibilidade humana de encontrar verdades universais. Assim é que o filósofo não mais se preocupa em buscá-la, preferindo uma vida fundada na dúvida.



  
23.   Nunca nos tornaremos matemáticos, por exemplo, embora nossa memória possua todas as demonstrações feitas por outros, se nosso espírito não for capaz de resolver toda espécie de problemas; não nos tornaríamos filósofos, por ter lido todos os raciocínios de Platão e Aristóteles, sem poder formular um juízo sólido sobre o que nos é proposto. Assim, de fato, pareceríamos ter aprendido, não ciências, mas histórias.

DESCARTES. R. Regras para a orientação do espírito. São Paulo: Martins Fontes, 1999.


Em sua busca pelo saber verdadeiro, o autor considera o conhecimento, de modo crítico, como resultado da
a) investigação de natureza empírica.   
b) retomada da tradição intelectual.   
c) imposição de valores ortodoxos.   
d) autonomia do sujeito pensante.   
e) liberdade do agente moral.    


Resposta:

[D]

Descartes é o principal filósofo racionalista. Assim sendo, para ele, o conhecimento é resultado de investigações do ser pensante, único capaz de chegar a conceitos verdadeiros.



  
24.   Vi os homens sumirem-se numa grande tristeza. Os melhores cansaram-se das suas obras. Proclamou-se uma doutrina e com ela circulou uma crença: Tudo é oco, tudo é igual, tudo passou! O nosso trabalho foi inútil; o nosso vinho tornou-se veneno; o mau olhado amareleceu-nos os campos e os corações. Secamos de todo, e se caísse fogo em cima de nós, as nossas cinzas voariam em pó. Sim; cansamos o próprio fogo. Todas as fontes secaram para nós, e o mar retirou-se. Todos os solos se querem abrir, mas os abismos não nos querem tragar!

NIETZSCHE. F. Assim falou Zaratustra. Rio de Janeiro: Ediouro,1977.


O texto exprime uma construção alegórica, que traduz um entendimento da doutrina niilista, uma vez que
a) reforça a liberdade do cidadão.   
b) desvela os valores do cotidiano.   
c) exorta as relações de produção.   
d) destaca a decadência da cultura.   
e) amplifica o sentimento de ansiedade.    


Resposta:

[D]

O niilismo de Nietzsche é acompanhado por uma profunda crítica à cultura e à filosofia moderna. Na ausência de esperança, o que resta ao homem ocidental é dar-se conta de sua finitude, tal como apresenta a alegoria do texto da questão.



  
25.   Sentimos que toda satisfação de nossos desejos advinda do mundo assemelha-se à esmola que mantém hoje o mendigo vivo, porém prolonga amanhã a sua fome. A resignação, ao contrário, assemelha-se à fortuna herdada: livra o herdeiro para sempre de todas as preocupações.
SCHOPENHAUER, A. Aforismo para a sabedoria da vida. São Paulo: Martins Fontes, 2005.


O trecho destaca uma ideia remanescente de uma tradição filosófica ocidental, segundo a qual a felicidade se mostra indissociavelmente ligada à
a) a consagração de relacionamentos afetivos.   
b) administração da independência interior.   
c) fugacidade do conhecimento empírico.   
d) liberdade de expressão religiosa.   
e) busca de prazeres efêmeros.   


Resposta:

[B]

Ao criticar a satisfação de nossos desejos, Schopenhauer retoma uma concepção filosófica de tradição estoica, segundo a qual a felicidade se dá através do controle das paixões.

 1.   Texto I

O Cerrado brasileiro apresenta diversos aspectos favoráveis, mas tem como problema a baixa fertilidade de seus solos. A grande maioria é ácido, com baixo pH.
Disponível em: www.fmb.edu.br. Acesso em: 21 dez. 2012 (adaptado).


Texto II

O crescimento da participação da Região Central do Brasil na produção de soja foi estimulado, entre outros fatores, por avanços científicos em tecnologias para manejo de solos.
Disponível em: www.conhecer.org.br. Acesso em: 19 dez. 2012 (adaptado).


Nos textos, são apresentados aspectos do processo de ocupação de um bioma brasileiro. Uma tecnologia que permite corrigir os limites impostos pelas condições naturais está indicada em:
a) Calagem.   
b) Hidroponia.   
c) Terraceamento.   
d) Cultivo orgânico.   
e) Rotação de culturas.   


Resposta:

[A]

O agronegócio avançou sobre o domínio morfoclimático do Cerrado nas últimas décadas devido às novas tecnologias como o emprego da calagem (adição de cal) no solo para a correção da acidez, utilização de fertilizantes devido ao baixo teor de nutrientes minerais e aplicação de biotecnologia.



  
2.   Ações de educação patrimonial são realizadas em diferentes contextos e localidades e têm mostrado resultados surpreendentes ao trazer à tona a autoestima das comunidades. Em alguns casos, promovem o desenvolvimento local e indicam soluções inovadoras de reconhecimento e salvaguarda do patrimônio cultural para muitas populações.
PELEGRINI, S. C. A.; PINHEIRO, A. P. (Orgs.). Tempo, memória e patrimônio cultural.
Piauí: Edupi, 2010.


A valorização dos bens mencionados encontra-se correlacionada a ações educativas que promovem a(s)
a) evolução de atividades artesanais herdadas do passado.   
b) representações sociais formadoras de identidades coletivas.   
c) mobilizações políticas criadoras de tradições culturais urbanas.   
d) hierarquização de festas folclóricas praticadas por grupos locais.   
e) formação escolar dos jovens para o trabalho realizado nas comunidades.   


Resposta:

[B]

As ações de educação patrimonial voltadas para a conservação do patrimônio cultural, histórico e arquitetônico são importantes para o fortalecimento das identidades coletivas locais. Também podem contribuir para a revitalização das economias regionais, a exemplo do desenvolvimento de atividades como o turismo que valorizam os atributos culturais locais.



  
3.   Quanto mais complicada se tornou a produção industrial, mais numerosos passaram a ser os elementos da indústria que exigiam garantia de fornecimento. Três deles eram de importância fundamental: o trabalho, a terra e o dinheiro. Numa sociedade comercial, esse fornecimento só poderia ser organizado de uma forma: tornando-os disponíveis a compra. Agora eles tinham que ser organizados para a venda no mercado. Isso estava de acordo com a exigência de um sistema de mercado. Sabemos que em um sistema como esse, os lucros só podem ser assegurados se se garante a autorregulação por meio de mercados competitivos interdependentes.

POLANYI, K. A grande transformação: as origens de nossa época.
Rio de Janeiro: Campus, 2000 (adaptado).


A consequência do processo de transformação socioeconômica abordado no texto é a
a) expansão das terras comunais.   
b) limitação do mercado como meio de especulação.   
c) consolidação da força de trabalho como mercadoria.   
d) diminuição do comércio como efeito da industrialização.    
e) adequação do dinheiro como elemento padrão das transações.   


Resposta:

[C]

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Geografia]
A consolidação do capitalismo industrial provocou mudanças importantes na organização da sociedade, a exemplo da divisão social em classes (burguesia e proletariado), a acumulação de capital através da elevação dos lucros, a propriedade privada dos meios de produção e a difusão do trabalho assalariado.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Sociologia]
Em um sistema capitalista consolidado, tudo se torna mercadoria. Assim, não só o produto do trabalho humano, mas a própria força de trabalho é considerada como mercadoria. Não por acaso, é nesse momento que se formou aquilo que é denominado mercado de trabalho.



  
4.   O Painel lntergovernamental de Mudanças Climáticas (na sigla em inglês, IPCC) prevê que nas próximas décadas o planeta passará por mudanças climáticas e propõe estratégias de mitigação e adaptação a elas. As estratégias de mitigação são direcionadas à causa dessas mudanças, procurando reduzir a concentração de gases de efeito estufa na atmosfera. As estratégias de adaptação, por sua vez, são direcionadas aos efeitos dessas mudanças, procurando preparar os sistemas humanos às mudanças climáticas já em andamento, de modo a reduzir seus efeitos negativos.

IPCC, 2014. Climate Change 2014: synthesis report. Disponível em: http://ar5-syr.ipcc.ch.
Acesso em: 22 out. 2015 (adaptado).


Considerando as informações do texto, qual ação representa uma estratégia de adaptação?
a) Construção de usinas eólicas.   
b) Tratamento de resíduos sólidos.   
c) Aumento da eficiência dos veículos.   
d) Adoção de agricultura sustentável de baixo carbono.   
e) Criação de diques de contenção em regiões costeiras.    


Resposta:

[E]

O Aquecimento Global é causado pela intensificação do efeito estufa por atividades humanas que levam ao aumento das emissões de gases como o dióxido de carbono. Entre as consequências estão a elevação da temperatura, o derretimento parcial das geleiras, aumento do nível do mar, fenômenos climáticos extremos e perda de biodiversidade. Entre as medidas de adaptação, a mudança climática e a construção de diques para a contenção nas áreas costeiras que poderá evitar a inundação de cidades litorâneas.



  
5.   Pesca industrial provoca destruição na África

O súbito desaparecimento do bacalhau dos grandes cardumes da Terra Nova, no final do século XX – o que ninguém havia previsto –, teve o efeito de um eletrochoque planetário. Lançada pelos bascos no século XV, a pesca e depois a sobrepesca desse grande peixe de água fria levaram ao impensável. Ao Canadá o bacalhau nunca mais voltou. E o que ocorreu no Atlântico Norte está acontecendo em outros mares. Os maiores navios do mundo seguem agora em direção ao sul, até os limites da Antártida, para competir pelos estoques remanescentes.

MORA. J. S. Disponível em: www.diplomatique.com.br. Acesso em: 14 jan. 2014.


O problema exposto no texto jornalístico relaciona-se à
a) insustentabilidade do modelo de produção e consumo.   
b) fragilidade ecológica de ecossistemas costeiros.   
c) inviabilidade comercial dos produtos marinhos.   
d) mudança natural nos oceanos e mares.    
e) vulnerabilidade social de áreas pobres.   


Resposta:

[A]

A sobrepesca (pesca excessiva) é um grave problema ambiental, uma vez que reduz as populações de peixes nos Oceanos. O risco é de extinção de várias espécies. Esta atividade econômica é um exemplo da ausência de sustentabilidade no modelo capitalista atual que estimula o consumismo em larga escala. É fundamental estimular o desenvolvimento sustentável através de práticas como a piscicultura.



  
6.   A geografia mundial da inovação sofreu uma reviravolta que mobiliza fatores humanos, financeiros e tecnológicos.

Esforço humano: com  milhão de pesquisadores, a China dispõe de um potencial equivalente a  da capacidade norte-americana e  da europeia; segundo a National Science Foundation norte-americana, o país deverá concentrar  de todos os pesquisadores do mundo até 2025.

Esforço financeiro: em 2009, pela primeira vez, a China apresentou um orçamento para pesquisa que a colocou em segundo lugar no mundo – ainda bastante longe dos Estados Unidos, mas à frente do Japão.

Esforço tecnológico: em 2011, o país se tornou o primeiro depositante mundial de patentes, graças a uma estratégia nacional que visa passar do Made in China (produzido na China) para o Designed in China (projetado na China).

CARROUÉ, L. Desindustrialização. Disponível em: www.diplomatique.org.br.
Acesso em: 30 jul. 2013 (adaptado).


O texto apresenta um novo fator a ser considerado para refletir sobre o papel produtivo entre os países, representado pela
a) aplicação da ciência e tecnologia no desenvolvimento produtivo, que aumenta o potencial inventivo.   
b) ampliação da capacidade da indústria de base, que coopera para diversificar os níveis produtivos.   
c) exploração da mão de obra, que atrai fluxo de investimentos industriais para os países.   
d) inserção de pesquisas aplicadas ao setor financeiro, que incentiva a livre concorrência.   
e) transnacionalização do capital industrial, que eleva os lucros em escala planetária.   


Resposta:

[A]

A China é a 2ª maior economia do mundo, apresenta o maior parque industrial e maior exportação global. O país investe firmemente em educação, ciência e tecnologia que se traduz em produtos cada vez mais sofisticados em setores como indústria de bens de consumo, energia e setor aeroespacial.



  
7.   No início de maio de 2014, a instalação da plataforma petrolífera de perfuração HYSY-981 nas águas contestadas do Mar da China Meridional suscitou especulações sobre as motivações chinesas. Na avaliação de diversos observadores ocidentais, Pequim pretendeu, com esse gesto, demonstrar que pode impor seu controle e dissuadir outros países de seguir com suas reivindicações de direito de exploração dessas águas, como é o caso do Vietnã e das Filipinas.
                            
KLARE, MT. A guerra pelo petróleo se joga no mar. Le Monde Diplomatique Brasil, abr. 2015.


A ação da China em relação à situação descrita no texto evidencia um conflito que tem como foco o(a):
a) Distribuição das zonas econômicas especiais.   
b) Monopólio das inovações tecnológicas extrativas.   
c) Dinamização da atividade comercial.   
d) Jurisdição da soberania territorial.    
e) Embargo da produção industrial.    


Resposta:

[D]

A China disputa com outros países asiáticos, como Vietnã, Filipinas e Malásia, várias ilhas no Mar da China Meridional, entre as quais as Ilhas Paracel. Constituem importantes litígios territoriais na atualidade. Trata-se de uma disputa por território, importantes rotas de navegação e recursos naturais como petróleo e gás natural na região. A instalação pela China de uma plataforma petrolífera na região e a construção de ilhas artificiais tem causado tensão geopolítica na região.



  
8.   Algumas regiões do Brasil passam por uma crise de água por causa da seca. Mas, uma região de Minas Gerais está enfrentando a falta de água no campo tanto em tempo de chuva como na seca. As veredas estão secando no norte e no noroeste mineiro. Ano após ano, elas vêm perdendo a capacidade de ser a caixa-d’água do grande sertão de Minas.

VIEIRA. C. Degradação do solo causa perda de fontes de água de famílias de MG. Disponível em: http://g1.globo.com.Acesso em: 1 nov. 2014.


As veredas têm um papel fundamental no equilíbrio hidrológico dos cursos de água no ambiente do Cerrado, pois
a) colaboram para a formação de vegetação xerófila.   
b) formam os leques aluviais nas planícies das bacias.   
c) fornecem sumidouro para as águas de recarga da bacia.   
d) contribuem para o aprofundamento dos talvegues à jusante.   
e) constituem um sistema represador da água na chapada.   


Resposta:

[E]

O domínio do Cerrado (planaltos com chapadas, clima tropical, vegetação de Cerrado, rios perenes e solo pobre e ácido) ocupa o Brasil central, incluindo parte de Minas Gerais. No interior do bioma do Cerrado, as veredas são formações vegetais caracterizadas pela concentração de palmeiras (buritis). As veredas ocorrem em solos hidromórficos (encharcados de água). Portanto, as veredas constituem áreas com afloramento de água e nascentes que contribuem para a formação de importantes rios do Centro-Oeste e de Minas Gerais.



  
9.   Tanto potencial poderia ter ficado pelo caminho, se não fosse o reforço em tecnologia que um gaúcho buscou. Há pouco mais de oito anos, ele usava o bico da botina para cavoucar a terra e descobrir o nível de umidade do solo, na tentativa de saber o momento ideal para acionar os pivôs de irrigação. Até que conheceu uma estação meteorológica que, instalada na propriedade, ajuda a determinar a quantidade de água de que a planta necessita. Assim, quando inicia um plantio, o agricultor já entra no site do sistema e cadastra a área, o pivô, a cultura, o sistema de plantio, o espaçamento entre linhas e o número de plantas, para então receber recomendações diretamente dos técnicos da universidade.

CAETANO. M. O valor de cada gota. Globo Rural. n. 312. out. 2011.


A implementação das tecnologias mencionadas no texto garante o avanço do processo de
a) monitoramento da produção.   
b) valorização do preço da terra.   
c) correção dos fatores climáticos.   
d) divisão de tarefas na propriedade.   
e) estabilização da fertilidade do solo.   


Resposta:

[A]

O agronegócio moderno conta com o auxílio da ciência e da tecnologia a serviço da produção. O conhecimento meteorológico e climatológico sofisticado permite ao agricultor um monitoramento da produção definindo ações como a quantidade de água necessária para irrigação conforme a previsão de pluviosidade ou de estiagem. O conhecimento agronômico permite o manejo adequado para a conservação do solo com o apoio de organismos públicos e privados. O acesso à tecnologia é facilitado pela disponibilidade de capital e redes de informática e telecomunicações no território.



  
10.   Até o fim de 2007, quase 2 milhões de pessoas perderam suas casas e outros 4 milhões corriam o risco de ser despejadas. Os valores das casas despencaram em quase todos os EUA e muitas famílias acabaram devendo mais por suas casas do que o próprio valor do imóvel. Isso desencadeou uma espiral de execuções hipotecárias que diminuiu ainda mais os valores das casas. Em Cleveland, foi como se um “Katrina financeiro” atingisse a cidade. Casas abandonadas, com tábuas em janelas e portas, dominaram a paisagem nos bairros pobres, principalmente negros. Na Califórnia, também se enfileiraram casas abandonadas.

HARVEY, D. O enigma do capital. São Paulo: Boitempo, 2011.


Inicialmente restrita, a crise descrita no texto atingiu proporções globais, devido ao(à)
a) superprodução de bens de consumo.   
b) colapso industrial de países asiáticos.   
c) interdependência do sistema econômico.   
d) isolamento político dos países desenvolvidos.   
e) austeridade fiscal dos países em desenvolvimento.   


Resposta:

[C]

A crise financeira mundial começou em 2008 nos Estados Unidos, o epicentro foi a acentuada inadimplência no setor imobiliário, mas também estava relacionada a fragilidades mais amplas, o excesso de crédito para estimular a economia, especulação financeira desmedida e desequilíbrio nas contas públicas (deficit e dívida pública elevada). Como o sistema financeiro está interligado, visto que um desaquecimento na economia dos EUA afeta o comércio exterior e as finanças de outros países, logo a crise se propagou para a União Europeia e mais recentemente para os países emergentes como os BRICS.



  
11.   A Lei das Doze Tábuas, de meados do século V a.C., fixou por escrito um velho direito costumeiro. No relativo às dívidas não pagas, o código permitia, em última análise, matar o devedor; ou vendê-lo como escravo “do outro lado do Tibre” – isto é, fora do território de Roma.
CARDOSO, C. F. S. O trabalho compulsório na Antiguidade. Rio de Janeiro: Graal, 1984.


A referida lei foi um marco na luta por direitos na Roma Antiga, pois possibilitou que os plebeus
a) modificassem a estrutura agrária assentada no latifúndio.   
b) exercessem a prática da escravidão sobre seus devedores.   
c) conquistassem a possibilidade de casamento com os patrícios.   
d) ampliassem a participação política nos cargos políticos públicos.   
e) reivindicassem as mudanças sociais com base no conhecimento das leis.   


Resposta:

[E]

A Lei das Doze Tábuas transformou o Direito Romano de falado em escrito, ou seja, tornou-o fixo, público e comum a Patrícios e Plebeus.



  
12.   Pois quem seria tão inútil ou indolente a ponto de não desejar saber como e sob que espécie de constituição os romanos conseguiram em menos de cinquenta e três anos submeter quase todo o mundo habitado ao seu governo exclusivo – fato nunca antes ocorrido? Ou, em outras palavras, quem seria tão apaixonadamente devotado a outros espetáculos ou estudos a ponto de considerar qualquer outro objetivo mais importante que a aquisição desse conhecimento?

POLÍBIO. História. Brasília: Editora UnB, 1985.


A experiência a que se refere o historiador Políbio, nesse texto escrito no século II a.C., é a
a) ampliação do contingente de camponeses livres.   
b) consolidação do poder das falanges hoplitas.   
c) concretização do desígnio imperialista.    
d) adoção do monoteísmo cristão.   
e) libertação do domínio etrusco.   


Resposta:

[C]

A experiência romana a que o texto faz menção é a vocação imperialista, desenvolvida principalmente a partir da República, quando Roma domina todas as terras em torno do Mar Mediterrâneo, passando a chamá-lo de Mare Nostrum.



  
13.   Em virtude da importância dos grandes volumes de matérias-primas na indústria química – eram necessárias dez a doze toneladas de ingredientes para fabricar uma tonelada de soda –, a indústria teve uma localização bem definida quase que desde o início. Os três centros principais eram a área de Glasgow e as margens do Mersey e do Tyne.
LANDES, D. S. Prometeu desacorrentado: transformação tecnológica e desenvolvimento industrial na Europa ocidental, desde 1750 até a nossa época.
Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994.


A relação entre a localização das indústrias químicas e das matérias-primas nos primórdios da Revolução Industrial provocou
a) a busca pela isenção de impostos.    
b) intensa qualificação da mão de obra.   
c) diminuição da distância dos mercados consumidores.   
d) concentração da produção em determinadas regiões do país.   
e) necessidade do desenvolvimento de sistemas de comunicação.   


Resposta:

[D]

Para tornar a produção o mais rentável possível, as primeiras fábricas abertas na Inglaterra procuraram ficar perto das áreas fornecedoras de matéria-prima. Por isso, houve a concentração de fábricas em áreas como Glasgow, Mersey, Tyne, Manchester e Birmingham.



  
14.   Quando surgiram as primeiras notícias sobre a presença de seres estranhos, chegados em barcos grandes como montanhas, que montavam numa espécie de veados enormes, tinham cães grandes e ferozes e possuíam instrumentos lançadores de fogo, Montezuma e seus conselheiros ficaram pensando: de um lado, talvez Quetzalcóatl houvesse regressado, mas, de outro, não tinham essa confirmação.

PINSKY, J. et. al. História da América através de textos. São Paulo: Contexto, 2007 (adaptado).


A dúvida apresentada inseria-se no contexto da chegada dos primeiros europeus à América, e sua origem estava relacionada ao
a) domínio da religião e do mito.   
b) exercício do poder e da política.   
c) controle da guerra e da conquista.   
d) nascimento da filosofia e da razão.   
e) desenvolvimento da ciência e da técnica.   


Resposta:

[A]

A dúvida citada no texto mostra a importância que o fator religioso tinha para a civilização asteca. A crença no mito da volta de Quetzalcoátl fez o imperador asteca Montezuma demorar a reagir à invasão espanhola nas terras do atual México.



  
15.   A história não corresponde exatamente ao que foi realmente conservado na memória popular, mas àquilo que foi selecionado, escrito, descrito, popularizado e institucionalizado por quem estava encarregado de fazê-lo. Os historiadores, sejam quais forem seus objetivos, estão envolvidos nesse processo, uma vez que eles contribuem, conscientemente ou não, para a criação, demolição e reestruturação de imagens do passado que pertencem não só ao mundo da investigação especializada, mas também à esfera pública na qual o homem atua como ser político.

HOBSBAWN, E.; RANGER, T. A Invenção das tradições.
Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984 (adaptado).


Uma vez que a neutralidade é inalcançável na atividade mencionada, é tarefa do profissional envolvido
a) criticar as ideias dominantes.   
b) respeitar os interesses sociais.   
c) defender os direitos das minorias.   
d) explicitar as escolhas realizadas.   
e) satisfazer os financiadores de pesquisas.   


Resposta:

[D]

O processo de produção histórica é pessoal: cada historiador, ao analisar uma fonte, faz a ela as “perguntas” que acha conveniente para o objeto da sua pesquisa. Nesse sentido, cabe ao historiador deixar claro qual a intenção e o objetivo de suas escolhas de pesquisa.



  
16.   Iniciou-se em 1903 a introdução de obras de arte com representações de bandeirantes no acervo do Museu Paulista, mediante a aquisição de uma tela que homenageava o sertanista que comandara a destruição do Quilombo de Palmares. Essa aquisição, viabilizada por verba estadual, foi simultânea à emergência de uma interpretação histórica que apontava o fenômeno do sertanismo paulista como o elo decisivo entre a trajetória territorial do Brasil e de São Paulo, concepção essa que se consolidaria entre os historiadores ligados ao Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo ao longo das três primeiras décadas do século XX.

MARINS, P. c. G. Nas matas com pose de reis: a representação de bandeirantes e a tradição da retratística monárquica europeia. Revista do LEB, n. 44, tev. 2007.


A prática governamental descrita no texto, com a escolha dos temas das obras, tinha como propósito a construção de uma memória que
a) afirmava a centralidade de um estado na política do país.   
b) resgatava a importância da resistência escrava na história brasileira.   
c) evidenciava a importância da produção artística no contexto regional.   
d) valorizava a saga histórica do povo na afirmação de uma memória social.   
e) destacava a presença do indígena no desbravamento do território colonial.   


Resposta:

[A]

Na chamada República Oligárquica, o estado de São Paulo buscava ocupar um lugar de hegemonia na política nacional, uma vez que já comandava a economia brasileira devido ao ciclo do café. Assim, o uso da figura do bandeirante nas obras de arte foi uma forma de legitimar essa hegemonia.



  
17.   TEXTO I

Em todo o país a lei de 13 de maio de 1888 libertou poucos negros em relação à população de cor. A maioria já havia conquistado a alforria antes de 1888, por meio de estratégias possíveis. No entanto, a importância histórica da lei de 1888 não pode ser mensurada apenas em termos numéricos. O impacto que a extinção da escravidão causou numa sociedade constituída a partir da legitimidade da propriedade sobre a pessoa não cabe em cifras.

ALBUQUERQUE. W. O jogo da dissimulação: Abolição e cidadania negra no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 2009 (adaptado).


TEXTO II

Nos anos imediatamente anteriores à Abolição, a população livre do Rio de Janeiro se tornou mais numerosa e diversificada. Os escravos, bem menos numerosos que antes, e com os africanos mais aculturados, certamente não se distinguiam muito facilmente dos libertos e dos pretos e pardos livres habitantes da cidade. Também já não é razoável presumir que uma pessoa de cor seja provavelmente cativa, pois os negros libertos e livres poderiam ser encontrados em toda parte.

CHALHOUB, S. Visões da liberdade: uma história das últimas décadas da escravidão na Corte. São Paulo: Cia. das Letras, 1990 (adaptado).


Sobre o fim da escravidão no Brasil, o elemento destacado no Texto I que complementa os argumentos apresentados no Texto II é o(a)
a) variedade das estratégias de resistência dos cativos.   
b) controle jurídico exercido pelos proprietários.   
c) inovação social representada pela lei.   
d) ineficácia prática da libertação.   
e) significado político da Abolição.   


Resposta:

[E]

O único elemento que podemos destacar do texto I que complementa o texto II é o seguinte: “(...) no entanto, a importância histórica [caráter político, observação da corretora] da lei de 1888 não pode ser mensurada apenas em termos numéricos. O impacto que a extinção da escravidão causou numa sociedade constituída a partir da legitimidade da propriedade sobre a pessoa não cabe em cifras (...)”. Nele, fica claro que o autor faz referência ao significado político da Abolição.



  
18.   Decreto-lei 3.509, de 12 de setembro de 1865
Art. 1º – O cidadão guarda-nacional que por si apresentar outra pessoa para o serviço do Exército por tempo de nove anos, com a idoneidade regulada pelas leis militares, ficará isento não só do recrutamento, senão também do serviço da Guarda Nacional. O substituído é responsável por o que o substituiu, no caso de deserção.

Arquivo Histórico do Exército. Ordem do dia do Exército, n. 455, 1865 (adaptado).


No artigo, tem-se um dos mecanismos de formação dos “Voluntários da Pátria”, encaminhados para lutar na Guerra do Paraguai. Tal prática passou a ocorrer com muita frequência no Brasil nesse período e indica o(a)
a) forma como o Exército brasileiro se tornou o mais bem equipado da América do Sul.   
b) Incentivo de grandes proprietários à participação dos seus filhos no conflito.   
c) solução adotada pelo país para aumentar o contingente de escravos no conflito.   
d) envio de escravos para os conflitos armados, visando sua qualificação para o trabalho.   
e) Fato de que muitos escravos passaram a substituir seus proprietários em troca de liberdade.   


Resposta:

[E]

Na formação dos Voluntários da Pátria para compor o exército brasileiro, na Guerra do Paraguai, muitos senhores acabaram convencendo seus escravos a se alistarem em seus lugares em troca da alforria. O Exército brasileiro que lutou tal Guerra teve maciça presença de negros, o que chegou a ser objeto de piada no Paraguai.



  
19.   Em 1943, Getúlio Vargas criou o Departamento de Propaganda e Difusão Cultural junto ao Ministério da Justiça, esvaziando o Ministério da Educação não só da propaganda, mas também do rádio e do cinema. A decisão tinha como objetivo colocar os meios de comunicação de massa a serviço direto do Poder Executivo, iniciativa que tinha inspiração direta no recém-criado Ministério da Propaganda alemão.

CAPELATO, M. H. Propaganda política e controle dos meios de comunicação.
Rio de Janeiro: FGV, 1999.


No contexto citado, a transferência de funções entre ministérios teve como finalidade o(a)
a) desativação de um sistema tradicional de comunicação voltado para a educação.   
b) controle do conteúdo da informação por meio de uma orientação política e ideológica.   
c) subordinação do Ministério da Educação ao Ministério da Justiça e ao Poder Executivo.   
d) ampliação do raio de atuação das emissoras de rádio como forma de difusão da cultura popular.   
e) demonstração de força política do Executivo diante de ministérios herdados do governo anterior.   


Resposta:

[B]

Vargas pretendia, dentro do regime do Estado Novo, controlar a circulação de informações a seu favor, aos moldes do que os governos nazifascistas faziam na Europa.



  
20.   O que implica o sistema da pólis é uma extraordinária preeminência da palavra sobre todos os outros instrumentos do poder. A palavra constitui o debate contraditório, a discussão, a argumentação e a polêmica. Torna-se a regra do jogo intelectual, assim como do jogo político.
VERNANT, J. P. As origens do pensamento grego. Rio de Janeiro: Bertrand, 1992 (adaptado).


Na configuração política da democracia grega, em especial a ateniense, a ágora tinha por função
a) agregar os cidadãos em torno de reis que governavam em prol da cidade.   
b) permitir aos homens livres o acesso às decisões do Estado expostas por seus magistrados.   
c) constituir o lugar onde o corpo de cidadãos se reunia para deliberar sobre as questões da comunidade.   
d) reunir os exercícios para decidir em assembleias fechadas os rumos a serem tomados em caso de guerra.   
e) congregar a comunidade para eleger representantes com direito a pronunciar-se em assembleias.   


Resposta:

[C]

A ágora era a praça pública onde os cidadãos atenienses discutiam os rumos da cidade.



  
21.   Texto I

Fragmento B91: Não se pode banhar duas vezes no mesmo rio, nem substância mortal alcançar duas vezes a mesma condição; mas pela intensidade e rapidez da mudança, dispersa e de novo reúne.
HERÁCLITO. Fragmentos (Sobre a natureza). São Paulo: Abril Cultural, 1996 (adaptado).


Texto II

Fragmento B8: São muitos os sinais de que o ser é ingênito e indestrutível, pois é compacto, inabalável e sem fim; não foi nem será, pois é agora um todo homogêneo, uno, contínuo. Como poderia o que é perecer? Como poderia gerar-se?
PARMÊNIDES. Da natureza. São Paulo: Loyola, 2002 (adaptado).


Os fragmentos do pensamento pré-socrático expõem uma oposição que se insere no campo das
a) investigações do pensamento sistemático.    
b) preocupações do período mitológico.    
c) discussões de base ontológica.    
d) habilidades da retórica sofística.   
e) verdades do mundo sensível.   


Resposta:

[C]

Heráclito e Parmênides apresentam visões opostas sobre uma mesma questão: “o que é o ser?”. Enquanto o primeiro defende a volatilidade, o segundo afirma a imutabilidade. Tal questionamento ontológico é a base das discussões pré-socráticas, ainda que as respostas para essa pergunta sejam diversas.



  
22.   Pirro afirmava que nada é nobre nem vergonhoso, justo ou injusto; e que, da mesma maneira, nada existe do ponto de vista da verdade; que os homens agem apenas segundo a lei e o costume, nada sendo mais isto do que aquilo. Ele levou uma vida de acordo com esta doutrina, nada procurando evitar e não se desviando do que quer que fosse, suportando tudo, carroças, por exemplo, precipícios, cães, nada deixando ao arbítrio dos sentidos.

LAÉRCIO, D. Vidas e sentenças dos filósofos ilustres. Brasília: Editora UnB, 1988.


O ceticismo, conforme sugerido no texto, caracteriza-se por:
a) Desprezar quaisquer convenções e obrigações da sociedade.   
b) Atingir o verdadeiro prazer como o princípio e o fim da vida feliz.   
c) Defender a indiferença e a impossibilidade de obter alguma certeza.   
d) Aceitar o determinismo e ocupar-se com a esperança transcendente.   
e) Agir de forma virtuosa e sábia a fim de enaltecer o homem bom e belo.    


Resposta:

[C]

O ceticismo pode ser caracterizado como a consciência da impossibilidade humana de encontrar verdades universais. Assim é que o filósofo não mais se preocupa em buscá-la, preferindo uma vida fundada na dúvida.



  
23.   Nunca nos tornaremos matemáticos, por exemplo, embora nossa memória possua todas as demonstrações feitas por outros, se nosso espírito não for capaz de resolver toda espécie de problemas; não nos tornaríamos filósofos, por ter lido todos os raciocínios de Platão e Aristóteles, sem poder formular um juízo sólido sobre o que nos é proposto. Assim, de fato, pareceríamos ter aprendido, não ciências, mas histórias.

DESCARTES. R. Regras para a orientação do espírito. São Paulo: Martins Fontes, 1999.


Em sua busca pelo saber verdadeiro, o autor considera o conhecimento, de modo crítico, como resultado da
a) investigação de natureza empírica.   
b) retomada da tradição intelectual.   
c) imposição de valores ortodoxos.   
d) autonomia do sujeito pensante.   
e) liberdade do agente moral.    


Resposta:

[D]

Descartes é o principal filósofo racionalista. Assim sendo, para ele, o conhecimento é resultado de investigações do ser pensante, único capaz de chegar a conceitos verdadeiros.



  
24.   Vi os homens sumirem-se numa grande tristeza. Os melhores cansaram-se das suas obras. Proclamou-se uma doutrina e com ela circulou uma crença: Tudo é oco, tudo é igual, tudo passou! O nosso trabalho foi inútil; o nosso vinho tornou-se veneno; o mau olhado amareleceu-nos os campos e os corações. Secamos de todo, e se caísse fogo em cima de nós, as nossas cinzas voariam em pó. Sim; cansamos o próprio fogo. Todas as fontes secaram para nós, e o mar retirou-se. Todos os solos se querem abrir, mas os abismos não nos querem tragar!

NIETZSCHE. F. Assim falou Zaratustra. Rio de Janeiro: Ediouro,1977.


O texto exprime uma construção alegórica, que traduz um entendimento da doutrina niilista, uma vez que
a) reforça a liberdade do cidadão.   
b) desvela os valores do cotidiano.   
c) exorta as relações de produção.   
d) destaca a decadência da cultura.   
e) amplifica o sentimento de ansiedade.    


Resposta:

[D]

O niilismo de Nietzsche é acompanhado por uma profunda crítica à cultura e à filosofia moderna. Na ausência de esperança, o que resta ao homem ocidental é dar-se conta de sua finitude, tal como apresenta a alegoria do texto da questão.



  
25.   Sentimos que toda satisfação de nossos desejos advinda do mundo assemelha-se à esmola que mantém hoje o mendigo vivo, porém prolonga amanhã a sua fome. A resignação, ao contrário, assemelha-se à fortuna herdada: livra o herdeiro para sempre de todas as preocupações.
SCHOPENHAUER, A. Aforismo para a sabedoria da vida. São Paulo: Martins Fontes, 2005.


O trecho destaca uma ideia remanescente de uma tradição filosófica ocidental, segundo a qual a felicidade se mostra indissociavelmente ligada à
a) a consagração de relacionamentos afetivos.   
b) administração da independência interior.   
c) fugacidade do conhecimento empírico.   
d) liberdade de expressão religiosa.   
e) busca de prazeres efêmeros.   


Resposta:

[B]

Ao criticar a satisfação de nossos desejos, Schopenhauer retoma uma concepção filosófica de tradição estoica, segundo a qual a felicidade se dá através do controle das paixões.

HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados