Loading...

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Simulado de História para a prova do 2º bimestre



Conforme o combinado, segue o link para o simulado de História contendo os seguintes assuntos

Colonização espanhola;
Colonização inglesa e francesa;
Revoluções inglesas;
Revolução industrial;
Iluminismo

Minha sugestão é que não usem o momento do simulado para consultas, por dois motivos: Deve ser uma simulação de prova e prova é sem consulta. (caso queira anote os assuntos nos quais se sentir inseguro para posterior consulta); o sistema pode travar devido ao tempo demasiado gasto na questão.

Não deixem de, quando o gabarito for liberado,  retornar à prova para identificar seu erros e acertos. Essa revisão, na minha opinião é tão importante quanto o simulado.

Para entrar no simulado, click no link abaixo:

http://www.sprweb.com.br/lista/?COD=1845059518


Bons estudos,

Professor Arão Alves

sábado, 21 de junho de 2014

Questões 2014 - questões discursivas com gabarito comentado


1. (Uerj 2014)  A liberdade política é esta tranquilidade de espírito que provém da opinião que cada um tem sobre a sua segurança; e para que se tenha esta liberdade é preciso que o governo seja tal que um cidadão não possa temer outro cidadão. Quando o poder legislativo está reunido ao poder executivo, não existe liberdade. Tampouco existe liberdade se o poder de julgar não for separado do poder legislativo e do executivo.

Montesquieu. O espírito das leis, 1748.


O direito eleitoral ampliado, a dominação do parlamento, a debilidade do governo, a insignificância do presidente e a prática do referendo não respondem nem ao caráter, nem à missão que o Estado alemão deve cumprir tanto no presente como no futuro próximo.

Jornal Kölnishe Zeitung, 04/08/1919. Adaptado de REIS FILHO, Daniel Aarão (org.). História do século XX. Volume 2. Rio de Janeiro: Record, 2002.


Os trechos apresentam aspectos do pensamento político em duas épocas distintas: o liberalismo proposto por Montesquieu no século XVIII e a crise do liberalismo na crítica de um jornal alemão na recém-estabelecida República de Weimar.

Identifique um dos princípios liberais expresso no texto de Montesquieu e a opinião no texto do jornal alemão que contradiz esse princípio. Apresente, também, um fator que explique a crise do liberalismo no período entre as duas grandes guerras.


Resposta:

Um dos princípios liberais: a divisão dos poderes em três, como forma de não concentrar o poder nas mãos de apenas uma pessoa;
Opinião do jornal que contradiz o princípio: "a dominação do parlamento, a debilidade do governo, a insignificância do presidente";
Com a crise econômica que abateu o mundo no período entre-guerras, o sistema liberal entrou em colapso, com especial destaque para a Crise de 1929, nos EUA. Em países europeus já debilitados pela Primeira Guerra, como a Alemanha, a crise econômica fortaleceu a formação de regimes de extrema direita, como o Fascismo.



  
2. (Uerj 2014)  A história latino-americana na década de 1970 foi marcada pela vigência de governos ditatoriais. As fotografias abaixo remetem ao golpe militar ocorrido no Chile em setembro de 1973.



Cite duas características comuns aos governos ditatoriais latino-americanos. Em seguida, identifique uma das principais reivindicações da sociedade chilena com relação às heranças do golpe de 1973.


Resposta:

Características comuns:
1) líderes populistas;
2) tortura e repressão contra os "inimigos";

Reivindicação do povo chileno: punição aos líderes do movimento do golpe.



  
3. (Unesp 2014)  O início foi o problema mais complexo que a colonização do Brasil teve de enfrentar. Tornou-se tal – e é nisto que se distingue do caso norte-americano tão citado em paralelo com o nosso – pelo objetivo que se teve em vista: aproveitar o indígena na obra da colonização. Nos atuais Estados Unidos, como no Canadá, nunca se pensou em incorporar o índio, fosse a que título, na obra colonizadora do branco.
O caso da colonização lusitana foi outro.

(Caio Prado Júnior. Formação do Brasil contemporâneo, 1987. Adaptado.)


Caracterize a relação entre colonos e indígenas na colonização dos Estados Unidos e identifique  duas formas de “aproveitamento” do indígena na colonização do Brasil.


Resposta:

A relação entre colonos e indígenas nas Treze Colônias foi marcada, na maior parte do tempo, pela visão negativa do europeu sobre o indígena. As terras indígenas foram ocupadas sob o argumento teológico da predestinação dos peregrinos e houve a escravização do indígena, principalmente nas colônias do Sul.

No Brasil Colônia, as duas principais relações estabelecidas entre colonos e indígenas foram os ESCAMBOS na extração do pau-brasil e a EXPLORAÇÂO DAS DROGAS DO SERTÃO na Região Norte.



  
4. (Unicamp 2014)  Desde o início da colonização, os portugueses chamaram de tapuias os grupos indígenas que julgavam bárbaros, por seus hábitos culturais distintos dos que habitavam o litoral e por seu poder de resistência aos portugueses.

a) Contextualize historicamente os significados de Guerra Justa para os portugueses a partir do fim da Idade Média.
b) Indique duas práticas dos indígenas que os portugueses consideravam bárbaras.


Resposta:

a) O conceito de Guerra Justa, derivado do Império Romano, era empregado em qualquer caso no qual a guerra era considerada um dever moral. A teoria da Guerra Justa teve vários teóricos, desde Cícero (Roma Antiga) até Immanuel Kant (Inglaterra). O termo era usado para justificar um conflito considerado necessário, seja por ser preventivo, seja por ser contra os inimigos do poder em vigor, seja para civilizar os não-civilizados. Tal conceito foi empregado pelos europeus em eventos como as Cruzadas e a escravização dos indígenas da América.

b) Dos costumes indígenas na América, dois, em particular, eram considerados bárbaros pelos europeus: a poligamia e a antropofagia.



  
5. (Fuvest 2014)  Subindo ao poder em outubro de 1930, Getúlio Vargas nele permaneceu por quinze anos, sucessivamente, como chefe de um governo provisório, presidente eleito pelo voto indireto e ditador. Deposto em 1945, seria eleito presidente pelo voto popular em 1950, não chegando a completar o mandato por se suicidar em 1954.

Boris Fausto. História do Brasil. 2ª ed. São Paulo: Edusp, 1995, p. 331. Adaptado.

O primeiro período de governo de Getúlio Vargas (19301945) iniciouse com um golpe; o último (19511954), com um processo eleitoral direto.

a) Identifique outras duas diferenças entre esses períodos.

b) Caracterize as relações entre o Brasil e os Estados Unidos da América em cada um desses períodos.


Resposta:

a) O contexto histórico mundial em 1930 foi marcado por um Estado forte, intervencionista e com ênfase nacionalista. O cenário mundial em 1950 era bem diferente. Com o fim da II Guerra Mundial em 1945 e a derrota dos regimes totalitários o mundo começa a se redemocratizar valorizando mais a liberdade, a democracia e o individualismo.


b) Na década de 1930, no contexto da II Guerra Mundial, Vargas se aproximou do EUA devido a “Política da Boa vizinhança” do presidente dos USA Franklin D. Roosevelt. Na década de 1950 a relação entre Brasil e EUA foi tensa devido, entre outros, ao nacionalismo de Vargas que criou estatais como a Petrobrás e a Guerra da Coreia na qual Vargas não enviou tropas brasileiras para lutar na Guerra da Coreia que ocorreu entre 1950-1953. 




quinta-feira, 29 de maio de 2014

Questões discursivas atuais ( 2014) com comentários



1. (Unicamp 2014)  “(...) o desencanto com a Nova República era provocado principalmente pelo fracasso dos vários planos econômicos que não conseguiram domar o dragão da inflação. Depois do breve sucesso do Plano Cruzado, de 1986, a arrancada dos preços disparou, esmagando o poder de compra dos brasileiros, especialmente dos mais pobres.”

(Marly Motta, “Rumo ao planalto”. Disponível em http://www.revistadehistoria.com.br/secao/artigos-revista/especial-nova-republicarumo- ao-planalto. Acessado em 09/08/2013.)


a) Explique o que é inflação.
b) Quais os efeitos do congelamento de preços, base do Plano Cruzado, para a economia brasileira do período?


Resposta:

a) A inflação é o aumento de preços dos produtos que pode ser ocasionada por desequilíbrios econômicos variados, um deles é a elevação da demanda (consumo) sem ocorrer aumento proporcional no investimento e na produção. Outros fatores como a atuação de oligopólios (poucas empresas produzindo um tipo de produto) com formação de cartel (preços combinados em patamares elevados para obtenção de maior lucratividade), excesso de protecionismo contra produtos importados e até fatores ambientais (seca severa com redução da oferta de produtos agrícolas) podem interferir na elevação dos preços.

b) Em 1986, com a retomada da democracia no país (Nova República) e durante do governo de José Sarney, foi implantado o Plano Cruzado para combater a inflação elevada. O congelamento de preços surtiu resultado apenas no curto prazo, uma vez que a intervenção muito brusca na economia fracassou. Entre os efeitos do plano, a retenção de produtos pelos empresários causando desabastecimento de alguns produtos, a troca da moeda, a pequena melhora da distribuição de renda no período de queda inflacionária e o posterior retorno da inflação elevada.  



  
2. (Ufg 2014)  Analise a imagem e leia o texto a seguir.




Na corte, teorias e experimentos médicos tinham livre curso de permeio às terapias tradicionais. Na Regência, ainda se fazia um unguento, supostamente útil para prevenir a queda dos cabelos, com a gordura do corpo dos escravos. Certo Dr. Santos publicou, em 1838, os resultados de uma experiência inédita; fizera uma cascavel picar um negro leproso para estudar os efeitos do veneno da cobra na evolução da doença. Mas o experimento fracassou porque o doente morreu em 24 horas.

ALENCASTRO, Luiz Felipe. “Vida privada e ordem privada no Império”. In: História da vida privada no Brasil. Império: a corte e a modernidade nacional. V. 2. 1997. p. 76-77. (Adaptado).


A imagem e o texto remetem ao cotidiano da cidade do Rio de Janeiro, na primeira metade do século XIX. Nesse ambiente de intensas trocas culturais, ao negro eram atribuídas diferentes representações.
Diante do exposto, explique

a) como a pintura expressa as trocas culturais no Rio de Janeiro, na primeira metade do século XIX;
b) a diferença na forma de representação do negro, na imagem e no texto.


Resposta:

a) Na pintura temos um conjunto de homens negros, aparentemente libertos, porém trajando vestes diferenciadas; no entanto, o fato de estarem descalços nos remete a sua condição de inferioridade. Em parte ela expressa certa preocupação com a higiene, que pode ser interpretada de forma equivocada e preconceituosa como uma influência branca.

b) Se a imagem mostra negros libertos, vestidos e asseados, o texto retrata o negro como alvo de experiências pseudocientíficas, como cobaias humanas, para a obtenção de produtos ou medicamentos úteis para a sociedade da época.



  
3. (Unesp 2014)  Nos primeiros anos da década de 1980, a Argentina e o Brasil trilharam, finalmente, o caminho da democracia. Naquele período, em um e outro país, as manifestações da sociedade vieram à tona, em vários níveis.
(Boris Fausto e Fernando Devoto. Brasil e Argentina: um ensaio de história comparada (1850-2002), 2004.)


Compare os processos de democratização ocorridos no Brasil e na Argentina nos anos 1980, a partir de dois aspectos: situação econômica interna; punição aos responsáveis por violências praticadas durante os respectivos regimes militares.


Resposta:

Situação econômica interna do Brasil: Por volta de 1984, a alta no preço do petróleo e o alto valor dos juros das transações internacionais abalaram a economia brasileira. A balança comercial brasileira ficou deficitária e os índices de inflação ficaram altos. A dívida externa aumentou, a industrialização estagnou e o desemprego atingiu altos índices. Mesmo assim, o governo militar manteve os programas de crescimento previstos anteriormente.

Punição aos responsáveis no Brasil: esse tema constitui grande polêmica no Brasil até hoje. A Lei de Anistia, promulgada em 1979, está sendo até hoje discutida no país, inclusive pelo STJ, para avaliar a validade ou não da anistia aos agentes do Estado que promoveram a tortura durante o Regime Militar. Há uma divisão na opinião de juristas e da sociedade sobre o tema: alguns acham correto os agentes do Estado serem beneficiados pela Lei, outros acham errado.

Situação econômica interna da Argentina: durante o processo de transição argentino, houve uma equiparação entre o peso e o dólar, o que deu aos argentinos um maior poder compra que, mais tarde, levou ao aumento da inflação no país. Houve também um aumento na privatização das empresas argentinas, seguindo o modelo econômico neoliberal.

Punição aos responsáveis na Argentina: os torturadores argentinos que participaram da chamada “Guerra Suja” (processo de tortura) receberam do governo argentino um indulto, ficando, assim, sem punição.



  
4. (Uerj 2014)  Tratados de Roma: 50º aniversário

A Europa foi, durante séculos, uma ideia, uma esperança de paz e de entendimento. Enfrentamos, na atualidade, grandes desafios que não conhecem fronteiras nacionais, e a União Europeia é a resposta que temos para lhes dar. Neste modelo europeu, conjugam-se sucesso econômico e responsabilidade social. A unificação da Europa veio dar vida a um sonho de gerações passadas. Manda a nossa história que preservemos tal fortuna para as gerações vindouras. Por isso nos une, cinquenta anos passados da assinatura dos Tratados de Roma, o objetivo de dotar a União Europeia de uma base comum e renovada.

HANS-GERT PÖTTERING, ANGELA MERKEL e JOSÉ M. BARROSO Adaptado de europa.eu, 25/03/2007.

Os Tratados de Roma, assinados em 1957, instituíram a Comunidade Econômica Europeia e a Comunidade Europeia da Energia Atômica.

Apresente um aspecto da conjuntura internacional da época que justifique a assinatura dos Tratados de Roma. Em seguida, identifique dois desafios enfrentados pela União Europeia na atualidade.


Resposta:

A CEE foi criada com o objetivo de fortalecer os laços econômicos entre os países Europeus, como parte de um programa de recuperação pós-guerra que previa a livre-circulação de pessoas, dinheiro e mercadorias entre os países membros. A integração econômica levaria, ao fim e ao cabo, à integração política entre os países.

Os principais desafios da EU nos dias atuais são:
1) lidar com a questão da xenofobia;
2) lidar com o avanço econômico de países asiáticos, como o Japão e a China;
3) lidar com a crise econômica que assolou a Europa no início desta década;
4) lidar com os altos índices de desemprego nos países europeus.



  
5. (Fuvest 2014)  O Plano Colômbia inicial consistia antes de tudo em uma ajuda militar destinada à erradicação das plantações de droga. Os programas de fumigação não tiveram início com ele: existiram desde 1994. Isto não impediu um crescimento ainda maior da superfície cultivada. Com o Plano Colômbia, e sobretudo a partir de 2001, esses programas adquiriram nova dimensão. Entretanto, não parece que eles tenham tido, tampouco, mais sucesso.

Daniel Pécaut, “Lógicas econômicas, militares e políticas na ‘guerra’ colombiana”. In: C. Brigagão & D. Proença Jr. (orgs.). Paz e terrorismo. São Paulo: Hucitec, 2004, p. 255.


a) Qual foi o papel desempenhado pelos Estados Unidos da América na implementação do “Plano Colômbia”?

b) A afirmação do autor de que o “Plano Colômbia” e outros programas semelhantes a ele, aparentemente, não tiveram grande sucesso se justifica? Explique.


Resposta:

a) Os EUA e a Colômbia realizaram o Plano Colômbia. Na década de 1990, a Colômbia estava em grave crise que ameaçava a unidade do país. De um lado, narcotraficantes dominando algumas áreas gerando instabilidade institucional, exportando drogas, principalmente para os USA. De outro lado, as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) desejavam criar um governo revolucionário. A diplomacia da Colômbia, com respaldo do governo dos EUA, elaborou o Plano Colômbia que acabou beneficiando, de certa forma, os dois lados. Aumentou a influência dos USA na América do Sul. Os narcotraficantes e os guerrilheiros colombianos foram desmobilizados.

b) Por um lado, o Plano Colômbia conseguiu reduzir as áreas de produção de maconha e coca e desmobilizou os cartéis melhorando a segurança do país. Por outro lado, alguns cartéis colombianos transferiram para o México aumentando o tráfico e a violência na fronteira com os EUA.



  
6. (Ufg 2014)  Leia os textos a seguir.

Texto 1

Foi a própria sociedade brasileira, por meio de suas instituições ou com o apoio delas, que sequestrou meus ancestrais da África e os transformou em um insumo barato. Assim como foram as políticas estatais que, após a abolição, inviabilizaram toda forma de reparação oficial pelos quase 400 anos de escravidão, jogando milhões de pessoas das senzalas para as ruas, da escravidão para o desemprego ou para as garras de patrões que nunca deixaram de tratá-las como seus “negrinhos” e suas “negrinhas”.

SILVA, Wilson da. Superinteressante, São Paulo, jun. 2001. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2013. (Adaptado).


Texto 2

Todos nós sabemos que a África subsaariana forneceu escravos para o mundo antigo, para o mundo islâmico, para a Europa e para a América. Até o princípio do século 20, o escravo era o principal item de exportação da pauta econômica africana. Sobre a miscigenação no Brasil, nós temos uma história tão bonita. Fala-se que as negras foram estupradas. Fala-se que a miscigenação deu-se pelo estupro. Fala-se que foi algo forçado. Mas, Gilberto Freyre mostra que isso se deu de forma muito mais consensual.

TORRES, Demóstenes, apud. FERRAZ, Luca; CAPRIGLIONE, Laura. Jornal Folha de S. Paulo, 4 mar. 2010. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2013. (Adaptado).


As reflexões sobre as políticas afirmativas têm gerado o uso de diferentes interpretações sobre o passado brasileiro. Publicados na mídia impressa e digital, os textos apresentados exemplificam dois discursos sobre a história da escravidão no Brasil, representativos do debate sobre a implementação das cotas raciais. Diante do exposto e considerando a diferença entre os textos, explique a

a) característica que fundamenta a interpretação sobre a escravidão, em cada um deles;
b) a relação entre a interpretação e a posição política sobre as cotas raciais, em cada um deles.


Resposta:

a) Para o texto 1, os escravos trazidos da África para o Brasil foram sequestrados, ou seja, vieram escravizados como produto de uma relação de força física e de força do capital e de seus interesses, que transformaram vidas humanas em simples mercadorias. Para o texto 2, a escravidão no Brasil foi uma continuidade de algo que já existia, praticada pelos próprios africanos, séculos antes da colonização lusitana dessas terras.


b) Para o autor do texto 1 existe a necessidade de se reparar um crime histórico com a população de afro descendentes e a política de cotas é parte desse reparo; enquanto o texto 2, ao não enxergar a responsabilidade histórica do Estado brasileiro, desconhece a necessidade de qualquer tipo de reparação. 




terça-feira, 22 de abril de 2014

Os assuntos mais cobrados no ENEM de 2011 a 2013


Essa breve análise tem como objetivo fornecer ferramentas que possibilitem a otimização do estudo. Com tais informações os alunos podem programar seus estudos evitando ir para prova deficientes em assuntos com os quais a banca do Enem já demonstrou considerável simpatia.
Considerando 4 temas ( Brasil, temática, geral e América ) observamos um certa vantagem para Brasil que foi cobrado em 30 questões.


Das questões de Brasil, o sub-tema mais cobrado foi Sistema colonial com 7 questões seguido de Era Vargas e República oligárquica com 5 questões cada.




Questões temáticas abordaram assuntos de grande ênfase interdisciplinar. Entre esses assunto destacamos: conhecimentos gerais (6 questões), problemas sociais ( 6 questões ) e arte ( 5 questões).


Em História geral, destacamos atualidades e mundo contemporâneo. Nesse momento vale diferenciar História contemporânea de atualidades.  Quando falo de atualidades trato de temas cujo conhecimento está mais relacionado à leitura de periódicos do que à de livros didáticos. Sera aquilo que historiadores chamam de História imediata. O conhecimento de atualidades foi necessário em 6 questões enquanto mundo contemporâneo foi cobrado por intermédio de 5 questões.


Essa foi minha contribuição, espero ter ajudado e torço pelo sucesso de Vocês. 

Bons estudos!

Professor Arão Alves



Crise no Prata e Guerra do Paraguai









terça-feira, 15 de abril de 2014

Exercícios complementares para a prova - Renascimento, absolutismo, reforma protestante, mercantilismo, sociedade pré-colombiana, expansão marítima



Segue o link para o simulado prometido:

Faça o seu cadastro no site. Para isso, insira o seu email e clique em "fazer meu cadastro agora", conforme imagem abaixo:



Na página seguinte,






 insira seus dados da seguinte forma:
 Nome:         Nome completo
Sobrenome: Nome completo
apelido:       Nome completo

Confira o e-mail para não digitá-lo errado e escolha uma senha de sua escolha. Guarde-a, pois você poderá usá-la nos três próximos anos.

Feito o cadastro, você poderá retornar com a seta do navegador ou clicar novamente no link abaixo. Agora, basta fornecer o e-mail cadastrado e a senha para escolher a sua turma e  fazer o simulado. Não entre em turma errada!! Ao final grave sua prova e veja na aba desempenho a sua performance. Dia 25 de abril fecharei o simulado e divulgarei o gabarito e comentários sobre cada questão. A partir dessa data você poderá retornar a sua prova e conferir questão por questão, seus erros e acertos observando os respectivos comentários.



Obs: Faça o simulado com calma. Não o inicie se não tiver certeza quanto a disponibilidade de tempo  necessário para concluí-lo.

Bons estudos!

Professor Arão Alves

http://www.sprweb.com.br/lista/?COD=1776453494

terça-feira, 8 de abril de 2014

Brasil Colônia - Questões discursivas com gabarito comentado


Grupo de estudo para as específicas da Uerj: https://www.facebook.com/groups/660763183949872/

1.   Observe a imagem abaixo:



O reinado de D. José I, em Portugal (1750-1777), foi marcado pela atuação de Sebastião José de Carvalho e Melo (futuro Marquês de Pombal), nomeado secretário de estado do Reino. Ao se tornar figura central da administração portuguesa, Pombal procurou empreender uma série de reformas no país, de modo a reverter a situação de crise em que vivia o reino português. Segundo o historiador Kenneth Maxwell:

Uma consequência imediata das medidas drásticas de Pombal foi desembaraçar o caminho para ações governamentais em várias frentes. Assim, a década de 1760 marcou um período de consolidação e ampliação das reformas iniciadas durante a década anterior. Estas incluíram (...) a afirmação da autoridade nacional na administração religiosa e eclesiástica, o estímulo a empreendimentos industriais e a atividades empresariais e a consolidação da autoridade para lançar impostos, das capacidades militares e da estrutura de segurança do Estado”.

MAXWELL, Kenneth. Marquês de Pombal: paradoxo do Iluminismo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996. p. 96.

Com base no texto acima e em seus conhecimentos, cite e analise:

a) uma medida da política econômica pombalina para a América Portuguesa.
b) uma medida da política pombalina em relação ao sistema educacional na colônia brasileira.


Resposta:

a) O estudante poderá destacar, dentre outras: a criação das companhias de comércio; o controle do contrabando de ouro e diamante; a reorganização da política fiscal. A medida mais famosa, no entanto, foi a criação da Derrama, na região das Minas Gerais. Com o intuito de cobrar os impostos atrasados dos mineradores, acabou atingindo toda a sociedade da região devido a ação violenta de governantes e militares portugueses no Brasil.
b) O estudante poderá destacar, dentre outras: a proposta de secularização do ensino, principalmente em função da expulsão dos jesuítas, que mobilizavam, até então, o ensino na colônia. Na verdade essa medida abriu caminho para a ação de outras ordens religiosas católicas, mais dóceis em relação ao Estado.



  
2.   Os historiadores são quase unânimes em reconhecer que a atividade mineradora do século XVIII resultou numa forma específica de colonização que a diferenciava do resto do Brasil.

(FARIA, Sheila de Castro. Dicionário do Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000, p. 397).

Considere o contexto histórico da América portuguesa, no que se refere à sociedade e à economia colonial do século XVIII, e diferencie esta forma de colonização daquela realizada no Nordeste açucareiro, dos séculos XVI e XVII.


Resposta:

Na sociedade açucareira, o braço forte do processo da sociedade colonial estava no elemento escravocrata; já na sociedade mineradora, pela especificidade da organização econômica, houve a inserção de atividades intermediárias que inseriram o escravo numa condição antagônica, ou seja, o escravo passou a ser visto em atividades urbanas, diferente das atividades rurais predominante na sociedade açucareira. Em virtude dessa condição, a economia açucareira estava voltada para o mercado externo; em contrapartida, na economia mineradora, pela questão do processo de desenvolvimento interno, houve alteração ocorrida pelo deslocamento demográfico para a região Centro-Sul.



  
3.   Leia este trecho, em que o personagem principal - Robinson Crusoé - rememora fatos por ele vividos no século XVII:

            "Pouco tempo depois do desembarque [na Bahia], fui recomendado pelo Capitão a um homem muito honrado, semelhante ao mesmo capitão, que tinha o que vulgarmente se chama um Engenho, isto é, uma plantação e uma manufatura de açúcar. Vivi alguns tempos em sua casa e por este meio me instrui no modo de plantar e fazer o açúcar. Ora, vendo que comodamente viviam estes cultivadores e com rapidez se enriqueciam, resolvi-me a estabelecer-me e a ser cultivador como os outros, se fosse possível obter licença; bem entendido que procuraria o meio de me fazer vir à mão o dinheiro, que tinha deixado em Londres [...] [Importei da Inglaterra] panos, sedas, meias e outras coisas extraordinariamente estimadas e procuradas neste país [e...] achei o segredo de as vender por alto preço, de sorte que posso dizer que, depois de sua venda, ajuntei mais de quatro vezes o valor da minha carregação [...] o ano seguinte tive toda a sorte de vantagens na minha plantação; colhi na minha própria terra cinquenta rolos de tabaco [que] estavam bem acondicionados e prontos para quando a frota voltasse para Lisboa."
            DEFOE, Daniel. "Vida, e aventuras admiráveis de Robinson Crusoé, que contem a sua tornada à sua Ilha, as suas novas viagens, e as suas reflexões". Lisboa: Impressão de Aucobia, 1815. v. 1, p. 68-69 e 74. (Adaptado)

A partir dessa leitura e considerando outros conhecimentos sobre o assunto,
a) IDENTIFIQUE duas atividades econômicas de caráter distinto desenvolvidas por Robinson Crusoé na Bahia.
b) RELACIONE as atividades indicadas no item a desta questão à política colonizadora das potências europeias para a América na Época Moderna.


Resposta:

a) A lavoura canavieira e a lavoura do fumo (tabaco), durante o período colonial do Brasil. Pode-se mencionar ainda o comércio de manufaturas inglesas na colônia.

b) O cultivo de gêneros tropicais nas colônias americanas e o posterior comércio no mercado europeu, bem como o fornecimento de manufaturas europeias às áreas coloniais, atendiam aos propósitos da acumulação mercantilista das potências europeias na Época Moderna.
Quanto ao tabaco, este era utilizado no Tráfico Negreiro, importante fonte de capitais para algumas das potências europeias.



  
4.   Leia o seguinte texto:

            "Na manhã de 29 de novembro de 1807, circulou a informação de que a Rainha, o Príncipe Regente e toda a Corte estava fugindo para o Brasil, sob a proteção da Marinha Britânica. Nunca algo semelhante tinha acontecido na história de qualquer país europeu, rei nenhum havia ido tão longe a ponto de cruzar um oceano para viver e reinar do outro lado do mundo."
            (Revista "Super Interessante", Outubro de 2007)

Com base no texto, responda:
a) Indique uma das ordens imediatas do Príncipe Regente ao pisar em terras brasileiras.
b) No que diz respeito à chegada da Família Real ao Brasil em 1808, apresente duas consequências que tenham tido significativa relevância no sentido de modificar o rumo histórico do país.


Resposta:

a) A abertura dos Portos Brasileiros às Nações Amigas em 1808.

b) Entre as consequências relevantes da chegada da Família Real portuguesa ao Brasil em 1808, pode-se mencionar o Tratado de Comércio e Navegação de 1810 com a Inglaterra, que além de constituir-se em obstáculo ao desenvolvimento da atividade industrial no Brasil, iniciava a vinculação do Brasil à órbita do capitalismo britânico, e a  elevação do Brasil à condição de Reino Unido de Portugal e Algarves em1815, retirando-lhe a condição de Colônia.



  
5.   Leia atentamente o trecho a seguir e, com base nele e em seus conhecimentos, responda ao que se pede.

"Se pensarmos na história do Brasil (...) veremos que nenhum produto, ou atividade desaparece. Às vezes nem mesmo decai, (...). Na verdade, o que aconteceu [no caso do açúcar] deve ser explicado por fatores que dizem respeito às condições do mercado consumidor mundial, ao nível técnico da produção, à competitividade do produto..."
            (LINHARES, M. Y. L. "História da agricultura brasileira".)

a) Cite e analise dois fatores que levaram à chamada "crise do açúcar", em meados do século XVII.
b) É correto dizer que existiu um "ciclo do açúcar" no Brasil? Justifique sua resposta.


Resposta:

a) O aluno deveria citar e analisar dois fatores que levaram à crise ao açúcar na século XVII no Brasil colônia, entre eles: a expulsão dos holandeses do nordeste e a consequente perda do monopólio açucareira nas Antilhas e seu maior nível técnico; o reaquecimento da produção e consumo de açúcar de beterraba na Europa; o endividamento dos senhores de engenho; a lenta resposta da Coroa portuguesa para oferecer novos investimentos, dentre outras.

b) O candidato com base no trecho de Maria Yêda Linhares deveria responder a questão de existência ou não de um ciclo açucareiro e justificá-la. Por ser essa uma questão de ordem metodológica optou-se por considerar que:
- Não teria havido um ciclo açucareiro, pela manutenção de sua produção e importância por séculos na pauta das exportações e no atendimento ao mercado interno. O aluno deverá considerar também a impropriedade de utilização do conceito de "ciclo" tendo em vista a dinâmica colonial que não se resumia apenas a um produto exportador. No entanto, optou-se por considerar também aquelas respostas que afirmavam a presença de um ciclo desde que justificassem suas respostas e demonstrassem o domínio de conceitos, tais como o de Pacto Colonial e antigo Sistema Colonial, bem como a predominância do latifúndio e da monocultura e exportadora na colônia brasileira.



  
6.   A instalação de famílias de colonos estrangeiros, no interior do Brasil, foi inicialmente incentivada pelo governo de D. João VI, durante a permanência da corte e, posteriormente também, pelo governo imperial brasileiro. A colônia de Nova Friburgo (RJ), fundada em 1818 para abrigar cem famílias suíças, e a colônia de São Leopoldo (RS), formada por alemães desde 1824, com apoio do Império, são dois exemplos pioneiros desse tipo de ocupação. Posteriormente, no final do século XIX, as políticas de imigração diversificaram-se e foram amplamente utilizadas. Um exemplo disso foi a imigração subsidiada, especialmente para abastecimento das lavouras de café no sudeste do país.

Considere as informações acima e responda ao que se pede.
a) Caracterize duas diferentes formas de imigração adotadas no Brasil ao longo do século XIX.
b) Explique os objetivos principais das duas políticas de imigração incentivadas no Brasil.


Resposta:

a) No início do século XIX ,durante o período joanino no Brasil, a política de imigração visava a ocupação de áreas de interesse para as quais se estimulava a vinda de europeus destinados a ocuparem terras nas áreas de fronteiras com os domínios espanhóis. As terras eram doadas a esses imigrantes para que lá se fixassem e garantissem essas terras para o governo.
Com a expansão da lavoura cafeeira no Oeste Paulista, adotou-se inicialmente o sistema de parceria, no qual arregimentava-se imigrantes  europeus pobres para trabalhar nos cafezais com a promessa de participação na produção. Essa modalidade de trabalho resultou em fracasso, pois os imigrantes atraídos com a possibilidade de "fazer a América", foram submetidos a uma intensa exploração, devido ao
endividamento crescente para pagar a despesas
de viagem financiadas pelo fazendeiro e os gastos cotidianos no armazém da fazenda, onde se praticavam preços abusivos, além de serem tratados como se tratava os escravos.
Diante do fracasso do sistema de parceria, e a crescente demanda por mão de obra nos cafezais, pressionado pelos fazendeiros, o governo imperial adotou o Sistema Subvencionado, pelo qual governo arcava com
os custos da imigração, ou seja, com as despesas de recrutamento e viagem do europeu. Ainda na Europa, era assinado um contrato de trabalho, que assegurava garantias ao trabalhador, esclarecia a remuneração e estabelecia a jornada de trabalho.

b) A primeira política de imigração incentivada
pelo governo, tinha por objetivo garantir
para Portugal, e posteriormente para o Brasil,
terras geralmente disputadas com a Espanha e, mais tarde, com países vizinhos.
A segunda tinha como objetivo principal suprir a demanda por mão de obra na lavoura cafeeira num momento de grande expansão em razão do crescimento das exportações de café que tornava-se o principal produto da economia nacional.
Vale observar que a preferência pelo europeu nas políticas de imigração do período imperial, fundamentava-se nas teses racistas da necessidade de embranquecimento  da população brasileira como um caminho para o progresso.



  
7.   "(...) ponderando-se o acharem-se hoje as Vilas dessa Capitania tão numerosas como se acham, e que sendo uma grande parte das famílias dos seus moradores de limpo nascimento, era justo que somente as pessoas que tiverem essa qualidade andassem na governança delas..."
            "Ordem Régia" (Para Câmara de Vila Rica-MG), 27 de janeiro de 1726.

"A Câmara e a Misericórdia podem ser descritas, apenas com um ligeiro exagero, como os pilares gêmeos da sociedade colonial desde Maranhão até Macau."
            BOXER, C. R. "O império marítimo português". Lisboa: Edições 70, 1969, p. 267.

O mais significativo órgão político-administrativo implantado por Portugal nas vilas coloniais da América Portuguesa era a Câmara Municipal.
Baseando-se nas citações apresentadas, responda com suas próprias palavras:
a) Qual era a origem social daqueles que ocupavam os cargos nas Câmaras Municipais?
b) Cite três funções das Câmaras Municipais nas principais vilas coloniais.


Resposta:

a) Os proprietários de terras e escravos, conhecidos como homens bons; Elite Colonial; Latifundiários; Aristocracia; Nobres da Colônia; Classe alta.
b) I. Fiscalização das condições da vida urbana (abastecimento, salubridade, posturas, etc.).
II. Arrecadar tributos e administrar contratos.
III. Justiça de primeira instância.



  
8.   DA BANDEIRA DA INCONFIDÊNCIA

Através de grossas portas,
sentem-se luzes acesas,
- e há indagações minuciosas
dentro das casas fronteiras.
"Que estão fazendo, tão tarde?
Que escrevem, conversam, pensam?
Mostram livros proibidos?
Leem notícias nas Gazetas?
Terão recebido cartas
de potências estrangeiras?"
(...)
E a vizinhança não dorme:
murmura, imagina, inventa. (...)
(MEIRELES, Cecília. In: "Romanceiro da Inconfidência". Rio de Janeiro: Letras e Artes, 1965.)

Os versos acima retratam o clima das Minas Gerais nos últimos anos do século XVIII.

Cite um objetivo que os inconfidentes pretendiam atingir e descreva o ambiente intelectual vivido, nesta região, em 1789.


Resposta:

Um dentre os objetivos:
-  pôr fim à opressão colonial
-  acabar com a cobrança da derrama
-  dar um governo liberal às Minas Gerais
-  estabelecer uma universidade em Vila Rica
-  acabar com o exclusivo comercial na região
-  emancipar Minas e Rio de Janeiro de Portugal

A elite rica e letrada da sociedade mineira vivenciava, no final do século XVIII, as ideias francesas, provenientes do Iluminismo, consideradas como infames e perigosas pelo governo português. Através desses representantes da sociedade mineira, conversas e intrigas eram realizadas em espaços fechados, conspirando-se contra o governo metropolitano.



  
9.   Entre 1817 e 1820, dois viajantes estrangeiros, Spix e Martius, participaram de uma missão científica que percorreu diversas regiões do Brasil. Ao chegarem ao Rio de Janeiro, anotaram sua opinião sobre a capital do Império:

Quem chega convencido de encontrar esta parte do mundo descoberta só desde três séculos, com a natureza inteiramente rude, violenta e invicta, poder-se-ia julgar, ao menos aqui na capital do Brasil, fora dela; tanto fez a influência da civilização e cultura da velha e educada Europa para remover deste ponto da colônia os característicos da selvajaria americana, e dar-lhe cunho de civilização avançada. Língua, costumes, arquitetura e afluxo dos produtos da indústria de todas as partes do mundo dão à praça do Rio de Janeiro aspecto europeu.
            (SPIX & MARTIUS. "Viagem pelo Brasil: 1817-1820". Belo Horizonte/São Paulo: Itatiaia/EdUSP, 1981.)

Indique duas realizações da administração de D. João que tenham contribuído para que o Rio de Janeiro adquirisse as características europeias percebidas pelos autores.


Resposta:

Duas dentre as realizações:
- construção de novos prédios na cidade do Rio de Janeiro
- aumento da entrada de produtos vindos de outras praças comerciais, proporcionada pela Abertura dos Portos decretada em 1808
- vinda da Missão Francesa
- criação da Biblioteca Nacional
- criação do Jardim Botânico
- criação de instituições de ensino superior



  
10.   "... E permite El-Rei que sejam estes índios  escravos por estar certificado de sua vida e costumes que não são capazes para serem forros, e merecem que os façam escravos pelos grandes delitos que têm cometido contra os portugueses, matando e comendo centos deles, e milhares deles, em que entrou um bispo e muitos sacerdotes."
            (SOUZA, Gabriel Soares de. In: ANAIS DA BIBLIOTECA NACIONAL. Rio de Janeiro: 1941.)

Em sua obra datada de 1587, o autor legitimava a escravidão dos indígenas brasileiros, enumerando razões para esse posicionamento.

a) Indique uma razão ideológica e uma razão econômica, utilizadas pelos agentes da colonização, para justificar a escravização do indígena.

b) Aponte um argumento utilizado pela historiografia atual para explicar a introdução da escravidão negra no Brasil.


Resposta:

a) Razões ideológicas:
     - a "superioridade" cultural do colonizador branco
     - a submissão do indígena à fé cristã, vista como a única verdadeira

Razões econômicas:
     - a colônia não poderia se sustentar sem braços para o trabalho agrícola
     - a colônia necessitava do braço indígena para se manter povoada

b) Um dentre os seguintes argumentos:
     - o interesse da Coroa e da burguesia traficante europeia pelo tráfico negreiro
     - a fraca densidade demográfica das comunidades nativas, o que impossibilitava a manutenção da opção pelo latifúndio monocultor




Construindo respostas na prova discursiva....


 

HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados