Google+ Followers

Barra de vídeo

Loading...

sábado, 25 de março de 2017

PUC e UNICAMP - questões com gabarito comentado.


 
 
 
Para não perder as novidades , inscreva-se no canal. Vídeo novo todo sábado, as 18:00, sempre com bônus de questões comentadas.
 
 
 
1.   “A revolução não se fez para assumir a tutela da Nação senão para entregar à Nação o governo de si mesma. Se a Nação entender, pelo voto de seus genuínos representantes, organizar-se antes de um modo do que de outro, devemos nos inclinar diante de sua soberania. Podemos e devemos instruir o povo, convertendo-o às ideias que nos parecem mais acertadas; mas não é lícito impor-lhe o nosso pensamento e vontade. Seria o despotismo. O Partido Democrático não pode desviar-se desta linha. No frontispício de seu programa, como a doirar a cúpula dos compromissos assumidos, figura a bela tricotomia americana do governo do povo, pelo povo e para o povo”.

Declaração do Partido Democrático de São Paulo, 13 de janeiro de 1932, in Déa Ribeiro Fenelon (org.). 50 textos de história do Brasil. São Paulo: Hucitec, 1986, p. 152-153.

O documento acima pode ser compreendido como uma demonstração
a) da insatisfação paulista com a política varguista de proteção à produção e exportação de café, que incluía um rigoroso controle de preços e tarifas aduaneiras.   
b) do projeto de implantação do socialismo no Brasil, defendido pelo Partido Democrático e por outros setores da esquerda nos primeiros anos do governo Vargas.   
c) da divisão entre antigos aliados no movimento de 1930, que, dois anos depois, entravam em conflito por causa de seus interesses políticos e econômicos distintos.   
d) do amplo apoio popular que o Partido Democrático recebeu desde sua fundação, em 1926, e que o fez opor-se tanto aos governos da Primeira República, quanto ao governo de Vargas.   
e) da defesa, pelo Partido Democrático, da proposta de separação de São Paulo do restante do Brasil, apoiada majoritariamente pelos participantes da revolução constitucionalista de 1932.   


Resposta:

[C]

O texto é uma crítica à postura de Getúlio Vargas, dois anos após a Revolução de 30. O Partido Democrático, representante dos interesses da burguesia urbana paulistana, que havia participado da Aliança Liberal apoiando a candidatura de Vargas em 30, apoiou, no final do mesmo ano, o movimento que o levou ao poder; no entanto, a postura autoritária e centralizadora do presidente, fez com que o Partido Democrático buscasse aliança com seus velhos adversários da oligarquia cafeeira na luta contra Vargas, que redundou na Revolução Constitucionalista.




TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Para responder à(s) questões a seguir, considere o texto abaixo.

De um modo geral, todos esses movimentos da vanguarda europeia de fins do século XIX e início do século XX estavam sob o signo da desorganização do universo artístico de sua época. A diferença é que uns, como o futurismo e o dadaísmo, queriam a destruição do passado e a negação total dos valores estéticos presentes; e outros, como o expressionismo e o cubismo, viam na destruição a possibilidade de construção de uma nova ordem superior. No fundo eram, portanto, tendências também organizadoras de uma nova estrutura política e social.

(TELES, Gilberto Mendonça, Vanguarda europeia e modernismo
brasileiro. Rio de Janeiro: Vozes, 1972, p. 10)


2.   Alguns artistas reconhecidos e certos movimentos de vanguarda, do início do século XX, aproximaram-se publicamente de partidos e ideologias políticas. Essa proximidade pode ser verificada entre alguns
a) dadaístas e anarquistas, a exemplo da atuação política de Tristán Tzara, que propôs a criação de um partido e uma internacional anarquista durante o entreguerras.   
b) futuristas e fascistas, a exemplo de Filippo Marinetti, que lutou ao lado do exército italiano na II Guerra e militou no Partido Nacional Fascista.   
c) integralistas e nazistas, a exemplo do apoio dos modernistas brasileiros Plínio Salgado e Cassiano Ricardo ao Eixo, durante o Estado Novo.   
d) surrealistas e comunistas ortodoxos, a exemplo do “Manifesto por uma Arte Revolucionária Independente”, redigido por André Breton e León Trotski, na URSS.   
e) expressionistas e republicanos, caso de Francisco de Goya, que lutou contra os franquistas e pintou os horrores da Guerra Civil Espanhola.   


Resposta:

[B]

Filippo Marinetti, além de artista futurista, foi um ativista político italiano. Sendo assim, integrou o Partido Fascista e compôs as fileiras do Exército italiano na Segunda Guerra.




TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Para responder à(s) questão(ões) a seguir, considere o texto abaixo:

Se a Grande Guerra representa ruptura na história das relações culturais entre a Europa e a América Latina, bem mais do que rompê-las brutalmente ela as reconfigura e leva a afirmações identitárias complexas (...). As referências europeias subsistem (...) mas são agora apenas parte de um todo identitário que bebe em fontes variadas para definir os caracteres da nacionalidade. Deste ponto de vista, a metáfora proposta por Oswald de Andrade em seu Manifesto antropofágico, de 1928, é a mais eficaz (...). “Só me interessa o que não é meu. Lei do homem. Lei do antropófago.”

(COMPAGNON, Olivier. O adeus à Europa. A América Latina
e a Grande Guerra (Argentina e Brasil, 1914-1939). Trad.
Carlos Nougué. Rio de Janeiro: Rocco, 2014, p. 303-304)


3.   A partir dos anos 1920, há um crescimento do sentimento anti-imperialista na América Latina, agravado por algumas políticas recentemente empreendidas pelos Estados Unidos no continente, como
a) a Política da Boa Vizinhança, que instituía a chamada solidariedade hemisférica pela qual os setores industriais eram agraciados com investimentos e empréstimos norte-americanos, no entanto, a juros altíssimos.   
b) a diplomacia do dólar, concebida como uma série de encontros diplomáticos em favor da criação de um suposto mercado comum, cujo intuito real era neutralizar possíveis concorrentes internos ao comércio dos Estados Unidos com a Europa.   
c) o pan-americanismo, conjunto de ações para valorizar as moedas nacionais de alguns países mais fortes, a fim de que esses provocassem a falência econômica de seus vizinhos, que teriam que recorrer à ajuda financeira e consequente dependência econômica dos EUA.   
d) a Doutrina Wilson, discurso usado pelos EUA em nome da defesa da democracia, para contestar governos ou processos eleitorais em alguns países do continente, visando favorecer candidatos ou governantes mais afinados aos interesses estadunidenses.   
e) a Doutrina Monroe, estratégia militar que consistia em intervenções armadas da Marinha estadunidense para assegurar a ordem e a paz, em países de fronteira com os EUA considerados parte de sua zona de segurança e expansão.   


Resposta:

[D]

Após a Primeira Guerra, o governo norte-americano, ao lado de algumas potências europeias, lançou um programa de Catorze Pontos que visavam defender a liberdade dos países contra as ações imperialistas que levaram à eclosão do conflito mundial. A Doutrina Wilson fazia parte desse programa.



  
4.   Os ventos e as correntes marítimas constituíam um entrave considerável ao tráfico de escravos índios pela costa do Atlântico Sul. Ao contrário, nas travessias entre Brasil e Angola, zarpava-se com facilidade de Pernambuco, da Bahia e do Rio de Janeiro, até Luanda ou a Costa da Mina.

(Adaptado de Luiz Felipe de Alencastro, O trato dos viventes: formação do Brasil no Atlântico Sul (séculos XVI e XVII). São Paulo: Companhia das Letras, 2000, p. 61-63.)

Podemos relacionar as condições geográficas brasileiras ao sistema de exploração colonial na medida em que
a) a dificuldade de fazer o tráfico de escravos índios do norte para o sul da colônia pela navegação litorânea levou os habitantes do sul a penetrarem o interior por terra, a fim de buscar uma outra via para a captura de nativos.   
b) a facilidade da travessia entre Brasil e Angola levou ao desenvolvimento do tráfico de escravos africanos, forma encontrada pelas capitanias do sul da colônia para compensar a falta de escravos índios para suas lavouras de café.   
c) o tráfico de escravos índios do norte para o sul era feito parcialmente por terra, expandindo o território além da linha de Tordesilhas, o que levou ao povoamento e desenvolvimento do interior da colônia em detrimento do litoral.   
d) a dificuldade da navegação litorânea para o tráfico de escravos índios e o alto custo da navegação atlântica para o tráfico de escravos africanos fizeram com que a lavoura paulista se desenvolvesse com a mão de obra livre.   


Resposta:

[A]

A questão aborda a influência das condições geográficas na costa litorânea brasileira, enfatizando a atuação dos ventos e das correntes marítimas para navegação, como sendo um obstáculo para o trafico de escravos nativos da terra, mas um elemento facilitador do tráfico africano de escravos. Diante da dificuldade imposta por tais condições geográficas, sobretudo o bandeirismo de apresamento (captura de nativos do interior), constituiu-se no principal instrumento para obtenção de escravos no sul. 
 

sábado, 18 de março de 2017

A Segunda Intifada

Considerando
a política externa brasileira entre 1964 e 1985, julgue a afirmativa abaixo.
A
partir de 1967, o governo Costa e Silva procedeu a uma reformulação das
diretrizes fundamentais da política externa brasileira. Essa linha permaneceria
inalterada, essencialmente, até o final do regime Civil Militar. A unidade de
ação que se verificou a partir de então embasou-se na importância conferida à
doutrina de fronteiras ideológicas.

(   ) CERTO                            (    ) ERRADO

Errado
A
política externa, a partir de 1967, tinha como objetivo, de forma autônoma,
garantir o desenvolvimento nacional. Costa e Silva, superado o período de
“passo fora da cadência”, lança a doutrina denominada "diplomacia da
prosperidade". Essa nova diretriz foi explicitada pelo chanceler José de
Magalhães Pinto em 1967. Estava superada a prioridade da bipolaridade e da
segurança coletiva.

Considerando
o período conhecido como guerra fria, julgue a afirmativa abaixo:

O
NKVD (comissário do Povo para assuntos internos), entre outras funções, era
responsável pela mobilização de pessoas para os trabalhos forçados nos campos
de concentração, onde, eram liquidados, em geral, os suspeitos de oposição ao
regime.

(   ) CERTO                                (     ) ERRADO

CERTO!!!!


Entre
as funções do NKVD, considerando a GUGB, uma de suas divisões internas, estava
a de garantir a segurança do Estado soviético. A repressão política foi uma das
mais importantes ferramentas para a concretização desses objetivos. Tantos
inimigos do Estado, quanto prisioneiros do Gulag, estavam entre as vítimas
desse organismo estatal.
 Existem evidências documentadas de que o NKVD
cometeu execuções extrajudiciais em massa.2 Em 17 de novembro de 1938, tais
troikas foram proibidas por decisão conjunta do Conselho de Comissários do Povo
e do Comitê Central do Partido Comunista de Toda a União (bolchevique).



sábado, 11 de março de 2017

Israel, Sharon, Intifada e um atentado transmitido ao vivo pela TV egípcia

A Alemanha é uma democracia constitucional federa, cujo sistema político foi criado com a constituição de 1949, chamada Grundgesetz (Lei Básica). Tem um sistema parlamentar em que o chefe de governo, o Bundeskanzler (Chanceler), é eleito pelo parlamento. Considerando a história política da Alemanha, julgue a afirmativa abaixo como (C) certa ou (E) errada

O SPD alemão foi um dos partidos mais importantes da primeira metade do século XX. Sua capacidade de adaptação possibilitou sua participação direta, tanto na república de Weimar, quanto sob o domínio nazista.

(     ) CERTO                            (     ) ERRADO



gabarito para essa e outras questões, nos comentários do vídeo.



sábado, 4 de março de 2017

Israel, Egito e a Guerra do Líbano









Considerando o governo do quarto general presidente, durante o regime civil-militar (1964-1985) no Brasil, julgue :


Durante a maior parte do regime civil-militar brasileiro, houve relativa autonomia brasileira quanto ao americanismo, principalmente ao longo do governo de Geisel, quarto presidente do regime. Nesse governo, observa-se estreitamento de relações com o movimento palestino, ao passo que o Brasil dialoga com seus principais líderes em bases autônomas, sem interferências dos Estados Unidos.


( ) CERTO ( ) ERRADO




Durante a década de 1970 as relações entre a CE e América Latina avançaram no campo econômico. Os países europeus buscavam ampliar os mercados para suas exportações e investimentos, assim como garantir as provisões de matérias-primas. Os latino-americanos, por seu turno, implementavam um processo de diversificação de parceiros externos e buscaram estabelecer relações distintas das mantidas com os Estados Unidos. Contudo, esse tipo de relações não saiu do campo das intenções. Entre outros motivos, muitos governos europeus não viam com bons olhos os governos autoritários da região.
SARAIVA, Miriam Gomes. A União Européia como ator internacional e os países do Mercosul. Rev. bras. polít. int. vol.47 no.1 Brasília Jan./June 2004


Considerando a relação Brasil-europa na década de 1970, julgue a afirmativa seguinte como (CERTA) ou (E) ERRADA.


À exceção da Alemanha, durante a década de 1970, os países europeus, em geral, estabeleceram relações comerciais profundas com o Brasil. Essas relações transbordaram para a agenda de Segurança, propiciando tratados tecnológicos, incluindo cooperação na área de energia nuclear.


( ) CERTO ( ) ERRADO



Confira o gabarito explicado nos comentários do vídeo!!


Bons estudos,


Professor Arão Alves.






sábado, 25 de fevereiro de 2017

Petroleo, crise e a Guerra do Yom Kippur: Um golpe no Ocidente



A crise do petróleo em 1973, foi um verdadeiro golpe no ocidente. A era de Ouro iniciada em 1944, foi interrompida. Até mesmo países subdesenvolvidos, como o Brasil, que viviam no auge de seu desenvolvimento (milagre econômico) sentiram o peso do golpe em suas economias, cujo desenvolvimento era baseados nesse combustível fóssil. Entenda a relação entre a guerra  e a crise mundial de 1973.
Bons estudos,
Professor Arão Alves



domingo, 19 de fevereiro de 2017

Atualidades - Questões atuais com gabarito comentado


Para não perder as novidades, inscreva-se no canal:  https://www.youtube.com/watch?v=RbbQ5CUq0gM?sub_confirmation=1



1.   O solo, a camada superficial da crosta terrestre, é um complexo composto por materiais minerais e orgânicos, formado inicialmente pela desintegração das rochas por ação do intemperismo (físico, químico e biológico), que dá origem aos componentes minerais. Posteriormente, a decomposição e a incorporação de elementos orgânicos vegetais e animais, chamados de húmus, dão fertilidade aos solos. No território brasileiro existem diversas categorias de solos, formados a partir da ação conjugada de fatores naturais, como tipo de rocha matriz, temperatura, topografia, águas correntes e vegetação.

(Adaptado de: COELHO, Marcos de Amorim. Geografia Geral e do Brasil. São Paulo: Moderna, p.120)






Com base no texto, no mapa e em conhecimentos sobre os solos e suas relações com a agricultura no Brasil, julgue as afirmativas.
(     )  No Brasil predominam solos zonais (latossolos e solos podzólicos), que têm no clima o principal elemento responsável por sua formação. São solos maduros (bem-formados), que geralmente apresentam os horizontes A, B e C bem caracterizados.   
(     )  Os latossolos tropicais brasileiros são pouco profundos, mas ricos em minerais, sustentando assim importantes cultivos – como de soja e milho, no Centro-Oeste, de cana-de-açúcar, no Sudeste, de algodão, nas áreas mais úmidas da Região Nordeste.   
(     )  Os cambissolos predominam no interior do semiárido nordestino e em trechos montanhosos das regiões Sul e Sudeste. Seu pequeno desenvolvimento e baixa fertilidade natural deve-se, fundamentalmente, à inclinação do relevo e ao predomínio do intemperismo químico, processo que acelera a perda de nutrientes por lixiviação.  
(     )  Os solos lateríticos e aluviais, típicos da Amazônia brasileira, são escuros e ricos em húmus, permitindo um bom aproveitamento agrícola em áreas como a várzea do rio Amazonas. Esses solos, no entanto, vêm sendo degradados por práticas incorretas, como o desmatamento desordenado e as queimadas regionais.  
(     )  Nos Planaltos e Chapadas da Bacia do Paraná encontra-se a terra-roxa – solo vulcânico, castanho-avermelhado e de elevada fertilidade natural, originado da decomposição de basalto. Esse solo, associado ao clima quente e ao relevo planáltico regional, abriga hoje uma policultura, na qual se destacam, dentre outras plantações, as de café, arroz, trigo e fumo.   


Resposta:

V – F – F – F – V.

Justificando o segundo, terceiro e quarto itens que são falsos:
[F] Os latossolos ocorrem em superfícies aplainadas e são profundos devido a maior infiltração de água, que proporciona maior intemperismo químico das rochas. Em sua maioria são solos pobres em nutrientes minerais. São aptos para a agricultura devido a sua espessura, mas requerem a utilização de fertilizantes. No caso do Centro-Oeste, também é comum a calagem (correção da acidez).
[F] Os cambissolos são solos menos desenvolvidos, pouco profundos. No semiárido do Nordeste, existem muitos argilossolos (podzólicos). No semiárido, a menor infiltração de água, reduz o intemperismo químico. O intemperismo físico é importante. Nas áreas montanhosas, devido à inclinação do terreno, infiltra menos água, também reduzindo a ação do intemperismo químico. Com menos água, a lixiviação (lavagem do solo com remoção de nutrientes) é menor.
[F] Os lateríticos e aluviais, por vezes, não apresentam coloração escura. Os solos das várzeas são ricos em matéria orgânica superficial. As áreas com várzeas sofrem alagamento periódico e são menos vulneráveis às queimadas.



  
2.  




As reformas em curso na China, que incluem o fim da política do filho único, são tentativas de caminhar para um modelo com mais ênfase em consumo, serviços e inovação. “A política do filho único, estendida por tempo demais, significou que o apoio aos idosos ficou cada vez mais escasso. Com uma rede de proteção social insuficiente, a poupança pessoal cresceu como forma de guardar para a aposentadoria”, diz um relatório recente do Morgan Stanley.

(Adaptado de: www.exame.com.br. Acesso em: 29 ago. 2016)


Com base no texto e em conhecimentos sobre o assunto, julgue as afirmativas.
(     )  A implantação da política do filho único na China teve início no governo de Deng Xiaoping, quando o país abriu zonas especiais a investimentos estrangeiros, no modelo conhecido como “economia socialista de mercado”.  
(     )  A ideia do controle de natalidade, imposta pelo governo comunista chinês desde o final dos anos 70, era a de conter a explosão demográfica, pois havia o receio de que o crescimento populacional constituísse uma ameaça aos planos de expansão econômica do país.  
(     )  O atual quadro de envelhecimento da população chinesa resultou, basicamente, da combinação entre a queda da taxa de fecundidade e o aumento da longevidade da população.  
(     )  Comparativamente ao Brasil, o aumento da população de idosos na China não exerce significativa pressão sobre os serviços de saúde e previdência social. Isso se deve basicamente ao sucesso da ampla disseminação dos benefícios sociais proporcionados pelo modelo comunista.  
(     )  O equilíbrio de gênero que caracteriza a população chinesa (distribuição equitativa entre homens e mulheres) tem facilitado o ingresso da população feminina no mercado de trabalho, fato que explica, em parte, a redução do crescimento vegetativo que vem ocorrendo nos últimos anos.  


Resposta:

V – V – V – F – F.

Justificando os dois últimos itens que são falsos:
[F] O aumento da população de terceira idade eleva os custos com saúde pública e previdência social em grande parte dos países, inclusive na China. A mudança na política demográfica decorre da preocupação com o envelhecimento e com a disparidade no número de homens e mulheres.
[F] Décadas de política de um filho por casal provocou um desequilíbrio na estrutura de gênero, ou seja, milhões de homens a mais do que mulheres. Como os casais preferem ter meninos devido à desigualdade de gênero em relação às mulheres. Na cultura chinesa, os filhos homens costumam cuidar dos pais na terceira idade, assim, os casais optavam por meninos. Ocorrem numerosos abortos de meninas na China.



  
3.  



Pronto, falaram. E falaram grosso: não querem continuar num clube em que não suportam a diretoria, mandam menos do que acham que deveriam e, de tanto ouvir que precisavam continuar lá, detectaram no ar alguma perversa conspiração das elites. Pois foi o povão, as camadas de renda mais baixas e mais distantes do multiverso de Londres, que disse não. Deu 51,9% pela saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

(VEJA, 29 jun. 2016, p. 67)


Com base no texto e em conhecimentos sobre o Reino Unido e suas relações com a União Europeia, avalie as afirmativas.  
(     )  O Brexit ameaça a boa integração e funcionalidade do Reino Unido, uma federação formada por Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, além de afetar preceitos básicos da UE, como a livre circulação de pessoas, mercadorias e serviços dentro dos limites do bloco econômico.  
(     )  Dentre os aspectos mais importantes que explicam a preferência dos britânicos pela saída da UE estão a retomada da soberania nacional e uma maior autonomia para lidar com problemas atuais, como o elevado desemprego e a redução das taxas de crescimento econômico do país.   
(     )  O Reino Unido é hoje uma das principais economias da Europa, e sua saída da UE tem impacto em todo o bloco econômico; o país conta com um parque industrial avançado e um setor de serviços altamente dinâmico, além de importantes reservas petrolíferas.  
(     )  A decisão britânica de abandonar o bloco europeu pode ocasionar um efeito dominó na zona do euro. Na maioria dos países-membros verifica-se uma rejeição à UE, pois países importantes como Alemanha e França tendem a enfraquecer a integração monetária da organização.  
(     )  A desvalorização da libra esterlina, que já vinha ocorrendo na última década, intensificou-se depois do advento do Brexit, ocasionando nervosismo nos mercados internacionais e evasão de divisas e empresas.  


Resposta:

F – F – V – F – F.

Justificando o primeiro, segundo, quarto e quinto itens, que são falsos:
[F] O inesperado “brexit” pode trazer consequências econômicas negativas como a perda de mercados para produtos britânicos na União Europeia. Também pode estimular movimentos separatistas em regiões que tiveram voto favorável à permanência na União Europeia como a Escócia.
[F] A União Europeia pouco comprometia a soberania nacional, uma vez que o Reino Unido tinham mantido sua moeda própria, além de ter política externa independente. Problemas como desemprego elevado e baixo crescimento do PIB relacionam-se com fatores mais amplos relacionados à falta de competitividade dos produtos britânicos num ambiente de globalização da economia. A perda de mercados na União Europeia poderá afetar negativamente o crescimento econômico britânico.
[F] A rejeição à União Europeia é restrita a poucos países, sobretudo grupos nacionalistas e de extrema direita localizados em nações como a França. Alemanha e França são países vitais no funcionamento do bloco e na manutenção da Zona do Euro.

[F] Após o brexit, ocorreu uma desvalorização da libra esterlina, o que provocou importante instabilidade no sistema financeiro, que constitui uma das atividades econômicas mais importantes do Reino Unido. Firmas e investidores pediram prudência ao governo britânico, uma vez que o setor financeiro conta com muitos trabalhadores de outros países do bloco europeu que podem ser afetados pelo brexit. De modo geral, não houve um movimento relevante de evasão de divisas e de empresas. 




HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados